25 de março de 2017 às 11:23

1ª Feira do Peixe Vivo acontece dia 12 de abril na Praça Cícero Cavalheiro

Com o aumento das fiscalizações na venda de produtos de origem animal não inspecionados, a feira vem como alternativa para viabilizar a comercialização de peixes neste período

 A ideia do encontro que definiu a realização da feira aconteceu na tarde da última quinta-feira, 23, e surgiu através da necessidade alavancada pelo comércio local e produtores da região para que em curto prazo fosse encontrada uma alternativa de comercialização de peixes, uma vez que todos os produtores e comerciantes estão se organizando para esse período em que as vendas se intensificam. Nosso município não possui nenhum frigorifico que realize o abate inspecionado de peixes, sendo assim a alternativa encontrada para comercialização é vender o peixe vivo, a exemplo de outros estados onde a prática já é adotada para viabilizar a venda e não prejudicar o produtor.

Intensificação da fiscalização

Segundo Alonso Duarte, supervisor regional da agricultura, as fiscalizações serão intensivas e redobradas nas rodovias e acessos do município e da microrregião, visando orientar e identificar a venda irregular de peixes, uma vez que o peixe abatido e não inspecionado pode causar danos à saúde do consumidor, pela facilidade de contaminação do peixe se não abatido conforme as normas e regulamentações sanitárias, consequentemente a fiscalização intensiva e regularmente nos pontos comercias da cidade de responsabilidade da vigilância sanitária municipal, através de ações conjuntas com a SEAPI.

Solução a curto e em médio prazo 

Os representantes do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Giovani Hoff e Rafael Dalenogare, frisaram em suas falas que a discussão sobre esse tema deve ser contínua e que deve ser realizado um trabalho de orientação conjunta de todos os órgãos voltados ao pequeno agricultor familiar, que tem sua produção, mas que ainda não está regularizado com as normas técnicas, para que no próximo ano a realidade seja outra. Após discussão e análises das opções em curto prazo, foi de consenso que a realização de uma feira de peixe vivo, viabiliza a venda e não prejudica o agricultor que precisa vender sua produção para a cidade, uma vez que o peixe estando vivo na hora da sua venda é a certificação que ele não foi exposto a nenhum tipo de contaminação e nem ao abate irregular. A EMATER é parceira das ações e atuará em conjunto com os outros órgãos na orientação dos produtores rurais.

1ª Feira do Peixe Vivo – 12 de abril na Praça Cícero Cavalheiro

 A primeira feira do peixe vivo será realizada na Praça Cícero Cavalheiro, no dia 12 de abril de 2017, na antevéspera da Sexta-feira Santa, durante todo o dia, poderão participar todos os produtores e agricultores familiares que desejarem, do município e da microrregião, o consumidor poderá encontrar no local todas as variedades de peixes e a garantia de qualidade.

Inscrições para participar

 Para participar o produtor deve procurar a Secretaria Municipal da Agricultura portando seu bloco do produtor e documentos de identidade e CPF, para realizar a inscrição que inicia na próxima segunda-feira (27) até o dia 06 de abril, já no dia 07 de abril no período da tarde os inscritos passarão por treinamento e orientação no Sindicato dos Trabalhadores Rurais, mais informações pelo fone 3352 9300.

Fonte: Prefeitura de São Luiz Gonzaga