11 de maio de 2017 às 09:11

Presidente do STR de Santo Antônio explica relação de pequenos produtores com o Funrural

Imposto sobre a renda bruta dos produtores rurais que foi recentemente revalidado pelo STF, o Funrural é pauta constante de nossa programação. Nesta semana a Rádio São Luiz também tratou da classe de agricultores familiares, uma vez que o referido imposto é cobrado dos pequenos produtores, porém, há de se considerar algumas diferenças.

Entrevistado no programa Olho Vivo, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Santo Antônio das Missões com extensão em Garruchos, Agnaldo Barcelos, falou sobre a situação envolvendo o Funrural e os produtores representados pelos STRs.

Previdência

Segundo Agnaldo, o cenário difere quanto ao tamanho da propriedade, sendo que os pequenos produtores não podem abrir mão do Funrural devido a questões previdenciárias – para o produtor que possui até 80 hectares de terra, a contribuição que garante sua aposentadoria se dá atualmente pelo Funrural.

Veja também: Presidente da Fecoagro lamenta “politização” do Jurídico

Apesar disso, o Presidente do STR de Santo Antônio explicou que os produtores de maiores extensões têm seus motivos para ser contra a cobrança deste imposto: “o produtor a partir de 80 hectares, para se aposentar, tem que pagar mensalmente para o INSS e o Funrural, no caso destes produtores, seria uma segunda contribuição e por este motivo eles são contra pagar duas vezes”.

Para Agnaldo, o atual modelo de contribuição para os pequenos produtores é aceitável, pelo menos enquanto não surgir nenhuma mudança na legislação parecida com o caso anteriormente citado. Ele considera justa a luta dos grandes produtores por não querer “pagar duas vezes”.

Por Genaro Caetano/Rádio São Luiz