29 de setembro de 2017 às 12:49

Fundo de aposentadoria dos servidores é tema de destaque na assembleia da AMM

Reunião ocorreu na sede do Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos Missões. Fotos: Genaro Caetano/Rádio São Luiz

Reunidos em São Luiz Gonzaga, na Expo São Luiz 2017, prefeitos da região da Associação dos Municípios das Missões (AMM) debateram o cenário atual envolvendo as administrações municipais e as preocupações dos gestores.

Entrevistado pela reportagem da Rádio São Luiz, o prefeito anfitrião, Sidney Brondani, disse que o assunto que mais ganhou relevância foi a situação financeira dos municípios. Ele fez menção especial aos fundos de aposentadoria dos servidores, os quais possuem uma dívida atrelada e podem até comprometer investimentos.

Segundo Brondani, neste ano São Luiz Gonzaga terá que pagar um passivo de R$ 8 milhões, correspondente a uma dívida que totaliza R$ 160 milhões – todas as administrações que dispõem de um fundo de aposentadoria municipal têm (ou certamente terão) problemas em equilibrar a balança das finanças, dependendo do tempo em que o fundo foi instituído e do volume de aposentadorias atreladas. Além do passivo, que representa hoje 30% da folha, há os 15,6% do ativo.

Proposta

Visando readequar esses percentuais à realidade das administrações, os prefeitos da AMM chegaram a um modelo no qual cada gestão pagaria 15% do passivo. Essa medida depende de ajustes das prefeituras com suas legislações próprias, além do devido encaminhamento via assessoria jurídica da AMM.

Perspectiva

Como neste ano não haveria possibilidade de se implantar as referidas medidas, trabalha-se com a implantação da proposta para o ano que vem. O entrevistado acrescentou que não se pode “sufocar” os investimentos em favor do fundo de aposentadorias e vice-versa. Para Brondani, esse deve ser tratado como o principal assunto pelos prefeitos, não apenas da AMM, mas de todos o País.

Por Genaro Caetano/Rádio São Luiz

Galeria de fotos: