28 de setembro de 2017 às 11:09

Rio Grande do Sul pode conquistar status de zona livre de aftosa em 2019

Reunião com o secretário Ernani Polo fez parte da programação da Expo. Foto: Genaro Caetano/Rádio São Luiz

Na manhã desta quinta-feira (28), na arena de shows da Expo São Luiz, foi realizado encontro de interiorização da Secretaria da Agricultura do Rio Grande do Sul. A reunião teve presença do secretário Ernani Polo, que expôs diversas situações relacionadas ao trabalho com o órgão estadual aos presentes.

Falando de forma clara, o Secretário ressaltou o esforço que sua equipe está fazendo para atualizar o serviço público, pois muitas leis relacionadas ao agronegócio são antigas, elaboradas há décadas, quando a realidade do produtor era muito diferente do que observamos hoje.

Atraso

Tratando do Agro como a mola que impulsiona a economia nacional, Ernani levou muitos exemplos de atividades rurais que eram marcadas pelo atraso na legislação. Ele citou uma iniciativa da Secretaria, representada pelo programa Agro +. Com esse programa o governo buscou ouvir as demandas de entidades e de seus próprios servidores. Isso gerou uma lista de 226 encaminhamentos de problemas para a Secretaria solucionar.

Soluções

Na área da irrigação, Ernani disse que foram simplificados os processos para armazenagem de água, uma vez que os produtores devem ser incentivados a tal atividade. Algumas situações expostas por ele eram até inusitadas, como o caso da carne suína, cuja norma dizia que a mesma deveria ser congelada a -18° enquanto no resto do mundo a regra versava sobre -12° – segundo Ernani, essa disparidade foi causada por um erro de digitação de décadas atrás e gerava um enorme consumo de energia, que se mostrava completamente irrelevante.

Ele ainda mencionou cuidados com o solo e sanidade animal, tudo para que o produtor possa realizar o seu trabalho de forma rentável e proveitosa.

Febre aftosa

Entre as metas que norteiam a Secretaria de Agricultura, Ernani disse que sua equipe pretende conquistar o status de zona livre de febre aftosa sem vacinação (hoje o RS é considerado zona livre com vacinação). Para tal, a Secretaria já solicitou auditoria do Ministério da Agricultura, a ser realizada em janeiro de 2019.

Isso pode ocasionar a conquista do status de forma antecipada, fazendo o RS se igualar a Santa Catarina, única unidade federativa que possui essa denominação atualmente.

Por Genaro Caetano/Rádio São Luiz

Galeria de fotos: