11 de outubro de 2017 às 10:34

Polícia Civil: retorno do serviço está nas mãos do Governo

José Biegelmeier falou sobre as reivindicações da categoria. Foto: Genaro Caetano/Rádio São Luiz

A incumbência de lidar com situações de vida ou morte por si só já impõe uma rotina que, por vezes, mostra-se pesada para aqueles que escolheram seguir a carreira de policial civil, porém, nada pior do que exercer a profissão em meio a uma desconsideração cada vez maior por parte do Governo do Estado. Esse é o sentimento dos policiais civis do RS, que estão em greve desde a segunda-feira (9).

Para fazer o público entender a situação da categoria o presidente da UGEIRM/Sindicato local, José Alberto Biegelmeier, participou do programa Expressão Livre de terça (10). Ele explicou o cenário envolvendo atraso nas promoções e parcelamento da folha.

Dizendo que não há valorização da categoria e que os servidores encontram-se com problemas pessoais, fruto de dificuldades de pagamentos, ele coloca o retorno do serviço inteiramente nas mãos do Governo.

O entrevistado ainda citou a falta de estrutura na Segurança Pública de um modo geral, com a possibilidade de, em um futuro próximo, termos delegacias da nossa região lotadas de presos por não haver mais espaço no sistema carcerário.

Próximos passos

Com a promessa de integralização do salário de setembro no dia 17 de outubro, o entrevistado disse que as atividades ficam paralisadas até esta data, respeitando-se o atendimento a casos graves e urgentes. Após o pagamento integral, espera-se pelo aceno do Governador com o fim dos parcelamentos e liberação de promoções em atraso.

Ele garantiu que, com avanços por parte do Governo, o serviço voltará à sua normalidade. Biegelmeier lembrou das recentes e frequentes ações envolvendo Polícia Civil e Brigada Militar, que resultaram em diversas prisões e é isso que a categoria quer seguir fazendo, desde que o Estado proporcione as condições mínimas para isso.

Por Genaro Caetano/Rádio São Luiz