29 de novembro de 2017 às 15:28

Novo perfil: prefeito de Roque Gonzales avalia sua administração até o momento

Prefeito de Roque, João Hass. Foto: Luiz Oneide Nonemacher

Os novos tempos na política demandam mais respeito ao dinheiro público e também a adoção de um perfil empreendedor, em substituição ao popular modelo paternalista que sempre dominou o trato com o povo. Ao menos essa é a opinião que o prefeito de Roque Gonzales, João Hass (PP), expõs em entrevista concedida á reportagem da Rádio São Luiz.

Fazendo um balanço de sua experiência como gestor até o momento, ele mencionou as conquistas, dificuldades e também aquilo que ainda está por vir, tanto na forma de investimentos como de novas dificuldades.

Avaliação e expectativas

Os primeiros assuntos abordados foram os problemas enfrentados no início do trabalho neste ano. “Colocamos a casa em ordem (…) recuperamos o parque de máquinas, retomamos convênios importantes, como o do plano de saúde dos servidores”, disse o Prefeito, citando também o pagamento de valores significativos em processos e precatórias.

Mesmo com todo o esforço em prol da “faxina interna”, Hass informou que, para o ano de 2018, ainda restarão pendências, como precatórias no valor de R$ 1milhão, o que, infelizmente, significa menos recursos para aplicar em outros setores importantes para a comunidade.

Investimentos

Avanços em estradas e na saúde foram elencados pelo Prefeito como conquistas da atual administração frente às adversidades encontradas pelo caminho. O entrevistado ainda lembrou que esses tempos difíceis devem ser atravessados com recursos próprios, sem muitas expectativas quanto a destinação de recursos do Estado, que, segundo o Prefeito, hoje pede mais ajuda aos municípios do que o contrário: “O Estado hoje nos deve mais de R$ 330mil apenas em atenção básica e temos que administrar isso, o Prefeito tem que dar um jeito…”.

Outra característica da administração de João Hass é a ausência de turno único. Ele não se diz contra os gestores que o adotam, mas essa medida não serviria para Roque Gonzales, pois afastaria da cidade o povo do interior, que vai para o centro urbano muitas vezes para resolver algo na Prefeitura e, uma vez ali, movimenta o comércio.

Ainda sobre investimentos da administração, o Prefeito disse que o município planeja dar sequência a construção do Balneário Municipal. No mês de dezembro é possível que seja feita mais uma licitação, no valor de R$ 500mil.

Trabalho e União

Como já citado anteriormente, Haas disse que o paternalismo na política é algo que está cedendo lugar ao empreendedorismo e esse é a tendência daqui pra frente. Apesar de ser taxado por muitos como centralizador, o chefe do Executivo disse que essa é uma exigência que o trabalho está lhe impondo e não vê problema em assumir essa característica, mas certamente nunca será chamado de ladrão ou desonesto.

Ele pediu que o povo não desista da política, pois novos líderes vão surgir e a região vive um momento de mudança – a Universidade Federal de Cerro Largo e o desenvolvimento do Aeroporto de Santo Ângelo são sinais disso e, com a adoção de um perfil mais moderno na administração, poderemos superar esse momento difícil.

Por Genaro Caetano/Rádio São Luiz