12 de janeiro de 2018 às 07:57

Grupo ameaça ocupar Cotrijuí em caráter emergencial até o dia 15

A situação envolvendo a Cotrijuí, matriz que gerencia importantes empreendimentos, como o frigorífico Tchê de São Luiz Gonzaga, parece estar se encaminhando para um desfecho dramático. Segundo nota de grupo de agricultores reunidos sob o nome de Cotrjuí/Recuperação, a Cooperativa poderá ter sua sede ocupada até esta próxima segunda-feira (15).

A informação já circula em veículos de comunicação digitais, como o Ijuí News. Segundo matéria, o presidente Eugênio Frizzo confessou o aumento da dívida, de R$ 1 bilhão para mais de R$ 1,8 bilhão, que teria sido ocasionado por juros e correção monetária.

Sobre a produção em estoque, os agricultores estariam com dificuldade para retirar o produto e, para aqueles liquidados, o pagamento estaria sendo protelado. Com salário, décimo terceiro e depósito do fundo de garantia dos funcionários atrasados, a situação se estende para níveis alarmantes.

Há cinco anos a Cotrijuí vem sendo gerenciada por uma nova administração, que assumiu em meio a uma crise que resultou em um processo onde se esperava pela recuperação das finanças da Cooperativa de Ijuí. Porém, com o cenário atual, o Grupo Cotrijuí/Recuperação deliberou pela medida de emergência anunciada no início do texto.

Palavra da diretoria

Em comunicado divulgado na página eletrônica do Jornal do Comércio, a diretoria da Cotrijuí informou que os atuais números da dívida estão no atual nível porque, anteriormente, os mesmos eram mascarados pela gestão passada, com fraude em balanços da dívida e do patrimônio da Cooperativa.

Quanto a ameaça de ocupação até a segunda-feira, a diretoria disse que possui legitimidade na administração e esta situação está sendo tratada na área jurídica.

Por Genaro Caetano/Rádio São Luiz

Imagem em destaque: divugação internet