Vereador de Ijuí, Darci Pretto, teve sua cassação confirmada pelo TRE

Foto: Noroeste Online
Compartilhe essa notícia...
Share on Facebook
Facebook
Email this to someone
email
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin

Em julgamento realizado na última quarta-feira, 30, o Tribunal Regional Eleitoral no Rio Grande do Sul (TRE-RS) manteve a cassação do mandato do vereador Darci Pretto da Silva, eleito em 2016 em Ijuí, no noroeste do Estado. O político foi denunciado pelo Ministério Público Eleitoral por compra de voto (via distribuição de vales-combustível) e por captação e gastos ilícitos de recursos durante a campanha.

Em julho de 2018, a Justiça Eleitoral condenou Darci à perda do diploma eleitoral, ao pagamento de multa no valor de 10 mil UFIR (aproximadamente R$ 10.641 à época) e à inelegibilidade por oito anos. O político recorreu e obteve efeito suspensivo da decisão, para que pudesse permanecer no cargo até o julgamento do caso pelo TRE-RS.

Na decisão desta quarta, além de manter a condenação, o Tribunal determinou que os votos obtidos por Darci sejam computados para a coligação pela qual concorreu (Frente Trabalhista – PDT/PPS) e que seja empossado o primeiro suplente da coligação.

Como ainda cabem recursos, os desembargadores do TRE-RS decidiram que a Zona Eleitoral de Ijuí deve ser comunicada, para cumprimento da decisão, após transcorrido o prazo para embargos de declaração ou julgados, caso sejam interpostos.

ASSESSOR JURÍDICO EM SÃO LUIZ GONZAGA – Darci Pretto atuou em São Luiz Gonzaga como assessor jurídico da Prefeitura na gestão do ex-prefeito Aguinaldo Caetano Martins.

Fonte: Ministério Público Federal na 4ª Região

Foto: Noroeste Online

Compartilhe essa notícia...
Share on Facebook
Facebook
Email this to someone
email
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin