Adjunto da superintendência de Santiago esclarece que houve aumento no vão de emenda da ponte sobre o Piratini

Problemas estruturais estão no meio da ponte, onde houve aumento no vão das emendas. (Foto:divulgação/Google Maps)

Há 15 dias, engenheiros da 12ª Superintendência Regional do Daer, com sede em Santiago, perceberam aumento no vão das emendas da ponte que fica sobre o Rio Piratini, na RS 168. Conforme Reginaldo Loureiro, adjunto da superintendência, o dano foi causado pelo excesso de peso que transita sobre a estrutura.

 

Ponte construída em 1975 não suporta altas cargas dos veículos atuais. (Foto: divulgação/Google Maps)

“A ponte é de 1975 e não foi projetada para as toneladas das carretas que, com o tempo, foram aumentando”, esclarece. Segundo Loureiro, as placas de advertência, alertando para a carga máxima de 24 toneladas, foram instaladas na semana passada.

Questionado se há algum tipo de fiscalização para evitar que a determinação seja descumprida, como bloqueios policiais, por exemplo, o adjunto disse que não. Neste caso, motoristas que ignorarem a orientação correm e oferecem risco aos demais. A reportagem da São Luiz também perguntou quais condições podem agravar a situação. Reginaldo citou os grandes volumes de chuva.

No momento, projeto que vai resolver o problema depende da diretoria de projetos em Porto Alegre. Só depois que o governo liberar recursos é que algo poderá ser feito. Sendo assim, não há previsão para o serviço.

Reginaldo ainda comentou sobre os buracos na rodovia. Segundo ele, há expectativa de que a secretaria da Fazenda libere na sexta-feira (15) duas cargas para tapa-buracos. Entretanto, a reperfilagem que, segundo ele é o serviço adequado a ser feito, também não tem previsão para ocorrer.

Fonte: Rádio São Luiz

Compartilhe essa notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email