Secretaria Estadual de Saúde confirma apoio à implantação da UTI em São Luiz Gonzaga

O prefeito Sidney Brondani, o presidente da Câmara de Vereadores, Piti Werle, a administradora do Hospital São Luiz Gonzaga, Íria Diedrich, juntamente com os vereadores Aldimar Machado, Francisco Lourenço, Laureano Castilho, Paulo Fraga, Ana Barros, secretário municipal de Saúde Valmir Silveira, coordenador regional de Saúde Yuri Somer, e o secretário parlamentar Emerson Marques de Mattos, participaram nesta quarta-feira de audiência com a secretária estadual de Saúde, Arita Bergmann. Na oportunidade, foi apresentado o pleito de busca por melhorias e pela implantação da UTI na Casa de Saúde são-luizense.

A comitiva apresentou à Secretaria Estadual da Saúde o projeto de reforma do Hospital São Luiz Gonzaga, com melhorias na rede elétrica, ambulatório e sala de diagnóstico por imagens. O planejamento conta ainda com a construção de uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Segundo Brondani, o projeto aguarda autorização de financiamento para que possa ser aberta a licitação para a obra. O hospital possui hoje 111 leitos e é referência para 90 mil habitantes de oito municípios da região. A administradora do hospital ressaltou ainda que, em 2018, 90% dos atendimentos ambulatoriais e 68% das internações foram pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Serão várias  etapas: primeiramente, é necessária a execução da obra física e do projeto de adequação,  este pendente  de liberação da Caixa Econômica Federal de Passo Fundo no valor de R$2,6 milhões, montante que aguarda liberação para processo licitatório.

Foi tratado ainda sobre as cirurgias oftalmológicas em nosso hospital, tendo o aval da Secretária de Saúde, restando agora as tratativas entre o secretário municipal de saúde, coordenadoria e profissionais para que sejam feitos os procedimentos. Ao invés dos pacientes de cataratas se deslocarem a outros centros, os médicos poderão vir ao nosso hospital para realizar os procedimentos.

Após ser apresentada ao plano, a secretária Arita se colocou à disposição da causa e que trabalhará para que, depois de pronto, a unidade receba a habilitação por parte do Ministério da Saúde. Ela apontou também que o processo deve ser acompanhado de um estudo de custeio e atenda a todas as normas da vigilância sanitária e critérios quanto aos recursos humanos para o atendimento. Arita salientou ainda o empenho da gestão estadual em saldar as dívidas pendentes com hospitais e municípios e o compromisso em manter os pagamentos do ano corrente em dia.

Fonte: Secretaria Estadual de Saúde

Compartilhe essa notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email