Produtores devem estar atentos quanto a utilização de herbicidas dessecantes e hormonais

A utilização de herbicidas causa prejuízos, motivo pelo qual há novas normas para sua utilização, no que diz respeito a produtos dessecantes e hormonais. De acordo com Fiscais Agropecuários da Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (SEAPDR) Elizandra Pavanello e Alonso Andrade, a utilização destes recursos pode representar perda de produções que sejam mais sensíveis, como as uvas.

Alonso explica que o uso destes herbicidas provocaram derivas em alguns produtores, com resultado de quebra de produção. Nesse sentido, o Ministério Público em primeiro momento iria banir o uso destes, no entanto, voltou atrás e em um acordo com a Secretaria de Agricultura do Estado, juntamente com a Federação de Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul) e setor Vitivinicultura. Assim, foram estabelecidas instruções normativas (INs), para regrar e restringir o uso de herbicidas secantes e hormonais, como o 2-4D. Elizandra Pavanello ressalta que são quatro INs que vigoram atualmente. Uma delas, a 06/2019, versa sobre a capacitação de aplicadores dos herbicidas. O produtor terá que ter um aplicador cadastrado junto a secretaria e, após a aplicação dos produtos, diversas informações terão que ser prestadas.

O cadastro

O cadastro foi determinado pela Instrução Normativa 06/2019 da Seapdr, que estabelece regras para o cadastro dos aplicadores de defensivos agrícolas dessecantes e hormonais e a necessidade do produtor prestar informações sobre o uso do produto. O acesso ao sistema está disponível aqui.

O cadastro também poderá ser feito presencialmente nas Inspetorias de Defesa Agropecuária, mediante apresentação de cópia ou original de documento de identidade e CPF do aplicador, certificado do curso de boas práticas agrícolas na aplicação de agrotóxicos e histórico do conteúdo ministrado.

Neste primeiro momento, 24 municípios devem atender a esta regra, no período de julho de 2019 a maio de 2020. São eles: Alpestre, Bagé, Cacique Doble, Candiota, Dom Pedrito, Encruzilhada do Sul, Hulha Negra, Ipê, Jaguari, Jari, Lavras do Sul, Maçambará, Mata, Monte Alegre dos Campos, Piratini, Rosário do Sul, Santiago, São Borja, São João do Polêsine, São Lourenço do Sul, Santana do Livramento, Silveira Martins, Sobradinho e Vacaria. Em São Luiz Gonzaga a UERGS ministrará curso a respeito do cadastro.

Outro ponto elencado pelos fiscais, é a questão da deriva, na qual produtores que se sentirem lesados podem realizar denúncias por meio do e-mail denunciahormonais.rs.gov.br ou então, pelo WhatsApp (51) 9 8412-9961. No processo o denunciante deverá prestar informações sobre localização, data e problemas decorrentes da aplicação dos produtos. Deste modo um profissional será direcionado para acompanhar o caso junto a propriedade.

Foto: Kelvin Morais

Por Róbson Gomes

Compartilhe essa notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email