Produção leiteira: deputado Marcon defende que novas diretrizes prejudicarão pequeno agricultor

producao-de-leite-712x440

(Foto: divulgaçã0)

Na visão do deputado federal Dionilso Marcon (PT), as Instruções Normativas (INs) 76 e 77, propostas pelo governo do presidente Jair Bolsonaro, prejudicam a agricultura familiar que trabalha com o leite. De acordo com ele, as INs estabelecem diretrizes para a produção leiteira que são impraticáveis – à curto prazo – para o pequeno produtor.

Para o deputado, as normativas potencializarão a saída de produtores da respectiva área, potencializando o êxodo dos dois últimos anos, que chega a 30%, de acordo com estimativas da Emater e da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag). Marcon afirma que o setor vive a eminência de uma crise.

O deputado destaca que para atender aos objetivos das normativas, que estabelecem critérios, como por exemplo, de temperaturas para conservação e transporte do leite diferente das atuais, os produtores terão que se estruturar e investir recursos que não possuem. “Essas normativas excluem o pequeno produtor e concentra o monopólio de produção leiteira nas grandes empresas. Essas regras são acessíveis para grandes indústrias, não para o agricultor familiar”, afirma.

Afim de tentar remediar a situação, ele elenca que protocolou dois projetos de lei que busca garantir tempo hábil para que os pequeno produtor possa se estruturar para atender às normativas, reduzindo assim o impacto sobre os mesmos.
Criticou também o objetivo do governo de abrir o Mercosul e a comunidade europeia para suprir o mercado interno com derivados do leite, da uva e do trigo. Segundo ele, os prejuízos podem ser significativos para os produtores brasileiros.

Por Róbson Gomes/Rádio São Luiz

Compartilhe essa notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email