Setor de Combate à Endemias pede apoio da comunidade contra a proliferação do Aedes aegypti

Arquivo - Setor de Combate à Endemias

Índice de Infestação Predial (IIP) do município está em 3,5%, o que aponta um risco médio de epidemia. (Foto: arquivo/divulgação)

Com o início do verão, em 22 de dezembro, a população precisa ficar ainda mais alerta no combate ao Aedes aegypti.  No município, a equipe de Combate à Endemias segue atuando para reduzir o número de focos do mosquito, vetor de doenças como a dengue, zika vírus e chikungunya.

Em novembro, mês do último Levantamento de índice Rápido do Aedes Aegypti (LIRAA), 781 imóveis foram visitados. Os dados apurados apontaram que o Índice de Infestação Predial (IIP) está em 3,5%, o que caracteriza um risco médio de epidemia causada pelo Aedes aegypti.

O Setor de Combate à Endemias solicita a colaboração da comunidade são-luizense para que revisem semanalmente os pátios das residências e eliminem qualquer recipiente que possa se tornar um criadouro do mosquito. O setor pede que os munícipes mantenham pneus e garrafas em locais fechados; lavem regularmente os recipientes de água dos animais de estimação; limpem e tampem as caixas d’água; mantenham piscinas limpas e clorificadas; não joguem lixo em locais de preservação ambiental. Com o apoio da comunidade, o verão irá transcorrer sem doenças causadas pelo mosquito.

Fonte: Setor de Combate à Endemias

Compartilhe essa notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email