Justiça determina internação compulsória e transporte de casal suspeito de coronavírus em São Borja

A pedido do Ministério Público, a Justiça determinou, em tutela de urgência, na madrugada desta quarta-feira, 18, a internação hospitalar, pelo Estado e Município de São Borja, do casal que fugiu de atendimento médico no município com sintomas de Covid-19.

Conforme a decisão, estado deverá providenciar, no prazo de 24h, o transporte interestadual para o domicílio de origem, em Santa Catarina, a fim de que se cumpra o protocolo de enfrentamento do Coronavírus, devendo ser observados todos os cuidados para a preservação da saúde dos envolvidos no cumprimento da ordem, como profissionais de saúde e outros.

Foi autorizada, ainda a requisição de auxílio da Brigada Militar, para garantir a integridade dos envolvidos e do próprio casal.As duas pessoas ingressaram no Brasil por São Borja, vindas do Chile. No momento da entrada ao território nacional, apresentaram sintomas compatíveis com o Covid-19. Após serem encaminhados e atendidos no Hospital Ivan Goulart, onde foi constatada a suspeita de contaminação, o casal fugiu para não sujeitar-se às medidas de isolamento prévio com internação hospitalar, já que não possuem residência na cidade para isolamento domiciliar.

Conforme o promotor responsável pela ação contra o casal Estado e Município, Fernando Gonzalez Tavares, esses protocolos vem do Ministério da Saúde e são replicados pelas Secretarias de Saúde do Estado e dos Municípios. “Se o casal tivesse residência em São Borja, talvez não precisasse internação hospitalar. A medida foi tomada porque eles, não sendo do município, iriam circular mesmo com a suspeita da contaminação, colocando em risco a si próprios e a toda a comunidade por onde passassem”.

Fonte: Folha de São Borja