Delegada Tanea Bratz pede que a comunidade respeite as determinações das autoridades da saúde

“Se não prevenirmos agora, muito em breve o isolamento será determinado, como já ocorre na Argentina”, destacou

A delegada de polícia Tanea Bratz falou nesta sexta-feira (20), sobre a preocupação com o novo coronavírus COVID – 19. Ela, que receberia a Láurea Mulher de Vanguarda na segunda-feira passada, comentou que o adiamento da entrega foi justamente como forma de prevenção.

“Temos que ter consciência que a situação é delicada e, se as autoridades estão determinando o isolamento, é porque ele é imprescindível”. “A palavra chave no momento é o tempo. Passamos a vida reclamando que não temos tempo e agora Deus está nos dando o tempo de nos isolar, algo que países como a China e a Itália não tiveram”, comenta.

Tanea externou a preocupação com a circulação de pessoas na cidade, que não estão observando estas recomendações. “O fato de muitos de nós não estarmos no grupo de risco, não significa que não vamos pegar. Podemos até não ter as limitações, mas se não nos cuidarmos e convivermos com alguém do grupo de risco a chance de essa pessoa ser contaminada é muito grande”, explicou.

A delegada ainda revelou que policias foram convocados para estar à disposição, inclusive quem estava de licença e férias. “Se estão nos convocando é porque estão contabilizando o número de nós que ficarão doentes e terão que se isolar”. “Brevemente o isolamento será determinado e teremos que fiscalizar isso. Na Argentina já está sendo. Sairemos só para ir comprar o essencial e tendo que justificar a nossa saída”, disse.

A policial encerou lembrando que “temos o hábito de terceirizar a responsabilidade. Vamos acusar o prefeito, o hospital, todos, quando a responsabilidade é de cada um de nós. Quanto antes nos organizarmos mais rápido vamos sair dessa”, concluiu.

Fonte: Rádio São Luiz