Decreto não proíbe o funcionamento dos estabelecimentos, mas determina regras para o atendimento, explica o presidente da ACI

Em comunicado à imprensa no final da manhã desta segunda-feira, 30, o presidente da ACI, Marcos Batista da Rosa, encaminhou orientações à comunidade e, principalmente, aos comerciantes de São Luiz Gonzaga quanto às determinações impostas para o funcionamento dos estabelecimentos comerciais de acordo com o decreto municipal de calamidade pública, o qual teve sua vigência mantida por mais uma semana.

Segundo Marcos, que participou da reunião do Comitê de Saúde que decidiu pela manutenção do decreto, a decisão foi embasada em dados técnicos por profissionais da área da Saúde. Assim, Marcos destacou: “Entendemos que se nós pararmos por completo (o comércio), teremos problemas refletidos lá na frente muito maiores; mas também temos de ter o bom senso de evitar de abrir por completo o comércio, se adequando assim ao decreto. Como estamos vivendo num período de exceção, a recomendação da ACI é: abra a sua loja, considere a capacidade de atendimento e a quantidade de pessoas que possam ser atendidas e restrinja o número de pessoas na loja. Além disso, redobre os cuidados de higiene e monitore o atendimento, tomando as precauções sanitárias”.

Para o presidente da ACI, “vimos nos últimos dias que muitos empresários fecharam as portas dos seus estabelecimentos porque não interpretaram o regramento do decreto, e claro que sentiram os efeitos. Por isso, recomendamos aos comerciantes: não fechem suas portas, mas a mantenha com uma placa de atendimento em plantão, fazendo tele-entregas ou atendendo uma pessoa por vez, com os devidos cuidados. Temos de agir com bom senso, nos ajudar. O ‘8 ou 80’ não serve. Não podemos escancarar as portas e chamar as pessoas de forma exagerada, pois o momento é de cautela. Assim, como o decreto perdura por mais uma semana, convocamos aos empresários que trabalhem com cuidado e carinho pelos nossos negócios, e que acompanhem a ACI nas redes sociais ou entrem em contato pelo fone 3352-4500 para tirar suas dúvidas. É a hora de trabalharmos e agir com bom senso, esperando que esta situação passe o mais breve possível”, finalizou.

Fonte: Rádio São Luiz