Hospital de São Luiz Gonzaga deverá ser habilitado para receber pacientes com COVID-19 de todo o Estado

(Foto: arquivo/divulgação HSLG)

São Luiz teria os leitos habilitados assim como Santo Ângelo e São Borja

O Hospital de São Luiz Gonzaga (HLSG) deverá ser habilitado para receber pacientes em tratamento do novo coronavírus COVID-19 de todo o Estado. Isso ocorrerá, segundo o Coordenador Regional de Saúde, Iury Sommer Zabolotsky, no momento em que a casa de saúde estiver com os sete leitos de UTI completos, com monitor, cama e toda a estrutura para atendimento de pacientes com a doença.

Iury explicou que no momento o HSLG está capacitado para receber apenas pacientes de São Luiz e região, pois os leitos ainda não estão na regulação estadual, dispondo apenas dos respiradores. Não há previsão para que isso ocorra, uma vez que há uma grande dificuldade em se adquirir os equipamentos. Existe, ainda, uma portaria que está habilitando hospitais menores para receber pacientes crônicos para desafogar os grandes, que passariam a ser referência caso ocorra aumento da infestação. Os protocolos sofrem alterações frequentemente.

Atualmente, nos 24 municípios da 12ª Coordenadoria Regional de Saúde existem mais de 300 pessoas sendo monitoradas em casa. São pessoas que apresentaram sintomas de uma síndrome respiratória, mas que não evoluíram para algo que necessitasse internação. Cada um desses pacientes está sendo acompanhado pelos profissionais de saúde que, diariamente, entram em contato para saber a situação. Até sexta-feira (17), haviam sido realizadas 65 coletas nestes municípios para diagnosticar casos suspeitos. Desses, 61 deram negativo e quatro aguardam o resultado. São coletas de São Borja e Santo Ângelo.

Testes rápidos

Na quinta-feira (16), a Coordenadoria Regional de Saúde iniciou a distribuição de testes rápidos para os 24 municípios. A estimativa é que cada um tenha recebido de 40 a 60 testes, número que deve ter sido menor para municípios com menos habitantes. Iury ressaltou que estes testes, mais os Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s), foram destinados para agilizar o diagnóstico nos profissionais de saúde e de segurança. O objetivo é que estes profissionais possam ser testados de uma forma mais ágil, de modo que possam seguir trabalhando sem apresentar riscos aos colegas e aos atendidos. Os demais casos, frisa o coordenador, seguem o protocolo de ser encaminhados ao Laboratório Central do Estado (Lacen).

Fonte: Rádio São Luiz