Além dos prejuízos nas lavouras, estiagem começa ameaçar abastecimento de água na região

Situação vem se prolongando desde o ano passado. (Foto: GaúchaZH)

O Coordenador Regional da Defesa Civil, tenente José Ricardo Correa, falou nesta segunda-feira (20) sobre as dificuldades que os municípios têm enfrentado com a estiagem que atinge todo o território gaúcho. Atualmente, segundo ele, dos 60 municípios da regional, de 25% a 30% decretaram situação de emergência.

Apesar do cenário, Corrêa descarta a possibilidade de uma decretação coletiva de emergência, que chegou ser aventada por algumas lideranças. A negativa é uma orientação que partiu do próprio Governador e do chefe da Casa Militar. O motivo é que ainda que a estiagem tenha afetado praticamente todo o Rio Grande do Sul, algumas localidades foram menos atingidas que outras. Corrêa exemplificou casos na própria regional, onde alguns produtores colheram até 60 sacas/hectare, enquanto outros apenas 9 sacas/hectare. Assim, frisa o coordenador, os casos continuarão sendo avaliados individualmente.

Falta d’água

Além dos problemas nas lavouras e dos impacto que causa na economia, a estiagem faz acender luz de alerta no abastecimento de água para consumo da população. “Nossos recursos hídricos estão se exaurindo. Essas últimas chuvas foram inexpressivas e não atingiram os lençóis freáticos. Outro dia presenciei um grupo pescando no Rio Ijuí e dava para ver as pedras devido ao nível baixo, algo que não se via há muito tempo”, comenta.

No município de Jóia, por exemplo, comunidades do interior já dependem do caminhão pipa para ter água. Em momento de uma pandemia, quando a água é ainda mais necessária para higiene e prevenção, é necessário que a população economize para não faltar.

Fonte: Rádio São Luiz