Painel debateu as perspectivas da estiagem e estratégias para enfrentá-la

(Foto: arquivo/Lauro Elias Ghiggi Faccin)

Luís Fernando resumiu principais pontos abordados em evento on-line realizado ontem (26)

O são-luizense e diretor da Farsul Jovem, Luis Fernando Cavalheiro Pires, mediou ontem (27), painel virtual sobre as perspectivas da estiagem e as estratégias para enfrentá-la. O encontro contou com a participação do pesquisador de meteorologia e clima da Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Flávio Varone; e do deputado federal e presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), Alceu Moreira.

Conforme Luis Fernando, as projeções de Varone indicam, para a região, um volume entre 80 e 100 milímetros de precipitação até 12 de maio. Quanto ao frio, por causa do plantio do trigo, o meteorologista disse que esta será uma estação normal, sem exageros. Sobre a safra de verão, para a qual projeções indicavam possibilidade de “la ninã” fraca, que é quando acontece seca no sul e chuva no norte do país, Varone disse ser cedo para um prognóstico.

A previsão preocupante ficou por conta de que não há garantias de chuvas suficientes para encher as barragens até setembro. É um sinal de alerta, principalmente para produtores que realizaram alto investimento em irrigação

Sobre isso, o deputado Alceu Moreira disse que está engajado em alterações na legislação, tanto para irrigação quanto para o seguro rural. Segundo o parlamentar, em breve podem ocorrer avanços na lei dos recursos hídricos e do corte florestal. A iniciativa, inclusive, teria partido do Ministério Público, que entende que na nossa região, por exemplo, os locais apropriados para reservas d’água são as baixadas que, por obvio, vão exigir intervenção nas chamadas áreas de prevenção permanente (APP), que ficam em leitos e margens de rios. “Quando fizermos a armazenagem de água poderemos fazer, no entorno desse reservatório, uma compensação ambiental”, defende Luis Fernando.

Por fim, foram discutidas as questões políticas e econômicas do país, como a permanência da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, e do ministro da Economia, Paulo Guedes, que, nos bastidores, estariam balançando em suas funções. No campo econômico, a constatação é de que, apesar da crise e da diminuição de consumo no mercado interno, as exportações para fora estão sendo ampliadas, principalmente para a China.

Fonte: Rádio São Luiz