Coordenador da 3ª Região Tradicionalista fala sobre os impactos da pandemia de Covid-19 nas entidades

Eduardo Bechorner (centro). (Foto: reprodução/arquivo pessoal)

Semana Farroupilha 2020 vive um cenário de incertezas

O coordenador da 3ª Região Tradicionalista (3ª RT), Eduardo Bechorner, comentou hoje (12) sobre as dificuldades que as entidades estão vivenciando e as adaptações realizadas para minimizar os efeitos da pandemia de coronavírus. A mais recente decisão, tomada em conjunto com as demais regionais e oficializada pelo Movimento Tradicionalista Gaucho (MTG), foi o cancelamento da tradicional cerimônia de acendimento da Chama Crioula, que seria realizada em Canguçu.

Como o cenário é de indefinição, até mesmo o acendimento na área da 3ª RT, que está prevista para ocorrer em Eugênio de Castro, no CTG Ronda do Rio Grande, dependerá das condições sanitárias. “Vivemos semana a semana”, comenta.

Algumas atividades artísticas e culturais estão ocorrendo de forma virtual, com o objetivo de movimentar, principalmente, os jovens. Outros eventos, como concursos de prendas e peões tiveram gestões prorrogadas e só serão realizados novamente em 2021.

A projeção dos festejos farroupilhas também vive um cenário de incertezas. “Precisamos realizar alguma coisa, até para obter recursos. Poderemos, na minha opinião, com protocolos e controles, realizar jantares. Temos restaurantes funcionando, então não vejo impedimento de realizar. Mas de toda forma, ainda é difícil fazer um prognóstico”, explicou.

Eduardo ainda lembrou que as entidades se mantém com a anuidade, mas principalmente com recursos arrecadados em promoções, alugueis para eventos e bailes, todas atividades que não podem retornar no momento. “As entidades são o esteio de toda a tradição. É toda uma cadeia que envolve instrutores de dança, invernadas campeiras, cavalgadas e uma série de outros eventos que também ajudam a movimentar o comércio. Fomos terrivelmente afetados”, disse ele.

A orientação da 3ª RT é para que as entidades procurem alternativas como venda de pizzas, galetos e outras de tele-entrega, de modo que consigam a manutenção até que seja possível retornar.

Fonte: Rádio São Luiz