Integrante do grupo de risco, vereador Enderson Rocha de Morais defende isolamento social

(Foto: arquivo/Rádio São Luiz)

Edil está trabalhando e estudando de casa 

O vereador de São Luiz Gonzaga, Enderson Rocha de Morais (PDT), falou hoje (17) sobre as mudanças que precisou realizar a partir do início dos casos de coronavírus na região. Aos 80 anos, e, portanto, dentro do grupo de risco, ele precisou adaptar o trabalho na Câmara de Vereadores e desde então vem realizando o home office.

Encaminhamentos de requerimentos e proposições, bem como a participação nas sessões estão sendo realizadas a partir de videoconferência. Seu gabinete segue aberto com atendimento da assessora. “Estou adaptado a nova realidade. Tudo está funcionando. A anormalidade seria eu não ficar em casa”, lembrou.

Com familiares comerciantes, o vereador disse ser sabedor das dificuldades que o setor está enfrentando diante da crise provocada pela doença, mas ressaltou que se for necessário suspender atendimentos para poupar vidas então é isso que deve ser feito. “Os jovens precisam se encontrar, o comércio vender, gerar resultados e empregos. O município precisa de retorno do ICMS. Entendo tudo isso. Mas se a roda do vírus vai girar junto com a economia então vamos retrair”, defendeu. Ele ainda fez um apelo para que a comunidade compre e valorize o comércio local.

Enderson também se mostrou preocupado com o número de hospitalizações na região e ponderou sobre a instalação de barreiras sanitárias. “O Brasil está chegando aos 50 mil mortos. Estamos fazendo algo errado. A região está enchendo hospitais. Fico feliz que até agora todos os nossos casos tenham sido solucionados, mas precisamos evitar a disseminação do vírus. Barreiras sanitárias são necessárias, assim como uma ampla campanha de divulgação do uso de máscara”, defendeu.

Concluinte da primeira turma do curso de Direito da URI – São Luiz Gonzaga, Enderson comentou que a formatura estava prevista para o dia 15 de agosto e que a empresa contratada para organizar a cerimônia é de Passo Fundo, local com ampla circulação do coronavírus. “Não será possível fazer dia 15. Não vamos ter a irresponsabilidade de trazer uma empresa e pessoas de uma cidade que está bastante afetada. Ainda não sabemos o que fazer, mas estamos estudando alternativas”.

O vereador encerrou agradecendo a universidade e a coordenadora do curso, professora Cristiane Menna Barreto, a qual “tem feito um esforço enorme para manter o padrão das atividades”. Ele comentou que tem aulas virtuais todas as noites. “Estamos aprendendo tudo o que tínhamos que aprender”, destacou ao também comentar que a crise trouxe ensinamentos e a oportunidade de reinvenção.

Fonte: Rádio São Luiz