Região das Missões permanece na Bandeira Laranja por mais uma semana

(Imagem: divulgação)

Governador destacou que Rio Grande do Sul está na 25ª semana epidemiológica e que a projeção para o pico por internações, historicamente, ocorre na 27ª. A preocupação é que ocorra superlotação de leitos por síndromes respiratórias e casos Covid-19 ao mesmo tempo. Por isso, ele reforçou a necessidade de manter as regras de distanciamento social, uso de máscara, etiqueta respiratória e reforço nos hábitos de higiene

O município de São Luiz Gonzaga e os demais que compõem a R11, no mapa do modelo de distanciamento controlado do Estado, permaneceu com classificação de risco no nível da Bandeira Laranja. A medida foi anunciada pelo governador Eduardo Leite durante live no início da noite deste sábado (20). Ele frisou que “a região se manteve com uma média de sete a oito leitos livres para ‘pacientes Covid’”.

Regiões de Caxias do Sul (R23, R24, R25 e R26) e Uruguaina (R03) deixaram a Bandeira Vermelha e voltaram para Bandeira Laranja. As regiões de Novo Hamburgo (R07), Canoas (R08), Capão da Canoa (R04 e R05), Porto Alegre (R09 e R10) e Palmeira das Missões (R15 e R20) ingressaram na Bandeira Vermelha, que impõe restrições mais rígidas e prevê fechamento do comércio que não é considerado essencial.

Segundo o governador, as regiões têm um prazo de 24h para analisar os dados, fazerem suas considerações e interporem recursos. Isso deve ser feito pelas associações de municípios ou individualmente pelo município de uma região da Bandeira Vermelha, que entenda que as restrições da sua região não devem se aplicar a ele.

Fonte: Rádio São Luiz