Prefeito Brondani comenta a expectativa pela divulgação das bandeiras e a compra de medicamentos para tratamento precoce da Covid-19

(Foto: Arquivo/Rádio São Luiz)

Ivermectina foi comprada para que médicos decidam se devem ou não utilizar no tratamento precoce de pacientes com sintomas da Covid-19. Anvisa alerta que o antiparasitário não tem eficácia comprovada

Nesta sexa-feira (10/07), o governo do estado deve divulgar o mapa preliminar da classificação de risco no modelo de distanciamento controlado. A expectativa, segundo o prefeito de São Luiz Gonzaga, Sidney Brondani, é que o município e a região permaneçam na bandeira laranja.

O prefeito disse que ontem conversou com os chefes do executivo de Santo Ângelo e São Borja e a avaliação é de certa estabilidade nas Missões. Em São Luiz, conforme o mais recente boletim, não há pessoas internadas pela Covid-19. Os casos confirmados nos últimos dias ou são assintomáticos ou de pessoas que estão se tratando em casa, com acompanhamento da secretaria municipal de saúde, sem a necessidade de internação. Além disso, muitos testes foram realizados e tiveram resultado negativo. “A situação, no momento, está controlada. Nosso pensamento é que é possível nos cuidar, proteger, prevenir e também trabalhar, não a todo vapor, mas com número limitado e todos os cuidados”, avaliou Brondani.

Compra da ivermectina

O antiparasitário, que vem sendo usado por médicos no tratamento precoce de pessoas com sintomas de coronavírus, teve lotes comprados pela prefeitura de São Luiz Gonzaga. O medicamento, indicado para o tratamento de várias condições causadas por vermes ou parasitas, também foi incluído no protocolo regional, elaborado pela equipe técnica de saúde e apresentado em reunião da Associação dos Municípios das Missões, para que seja usado junto com outras medicações no combate à Covid-19.

Brondani disse que os medicamentos serão disponibilizados aos médicos e que cabe a eles indicarem ou não o tratamento. “Minha responsabilidade é colocar à disposição. Os médicos é que vão avaliar”, destacou.

O prefeito comentou que existem estudos e pesquisas acadêmicas sobre o medicamento e sua real eficácia, cujo os resultados devem ser divulgados no mês que vem. Por outro lado, ontem, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) alertou que não há nenhuma comprovação científica de que a ivermectina seja eficaz contra o novo coronavírus.

Em nota, a agência ressaltou “que a automedicação pode representar um grave risco à sua saúde. O uso de medicamentos sem orientação médica e sem provas de que realmente estão indicados para determinada doença traz uma série de riscos à saúde”.

“No caso da ivermectina, os principais problemas (eventos adversos) são: diarreia e náusea, astenia, dor abdominal, anorexia, constipação e vômitos; em relação ao sistema nervoso central, podem ocorrer tontura, sonolência, vertigem e tremor. As reações epidérmicas incluem prurido, erupções e urticária”, alertou a Anvisa sobre os efeitos colaterais e os riscos à saúde decorrentes do uso do medicamento sem prescrição médica.

UTI Móvel

Ainda na área da saúde, o prefeito comentou a recente aquisição de aparelhos para comporem a ambulância UTI Móvel do município. Brondani lembrou a aquisição do respirador e do desfibrilador e destacou que até o fim da próxima semana os equipamentos restantes estarão inseridos no veículo para que este possa ser utilizado.

A aquisição foi comemorada pelo prefeito, que lembrou que antes era necessário alugar o veículo de municípios como Santo Ângelo e Ijuí. Isso, além de ter um custo próximo de R$ 4 mil, também ocasionava uma espera pelo deslocamento, que muitas vezes significava a perda de minutos importantes para o paciente.

Fonte: Rádio São Luiz