Diretor Técnico do Hospital São Luiz Gonzaga rebate posicionamento de deputado que critica a quarentena

(Imagem: Arquivo/Divulgação)

José Renato Grisolia comentou que se não fosse o distanciamento social o número de vítimas seria ainda maior

O Diretor Técnico do Hospital São Luiz Gonzaga, José Renato Grisolia, falou ontem (27/7) sobre as declarações do deputado federal Osmar Terra, que critica a quarentena e o lockdown como medida de prevenção ao avanço do contágio pelo coronavírus. José Renato questionou o posicionamento do político e disse que as comparações feitas pelo parlamentar vão contra ao que recomendam as principais autoridades sanitárias do mundo.

O médico são-luizense, que está na equipe que trabalha diariamente com pessoas infectadas pelo vírus, explicou que o H1N1, enfrentado por Osmar quando ele era secretário estadual de saúde, é muito diferente do atual. Naquela ocasião, a doença se originou de uma mutação da influenza que era muito parecida com a gripe espanhola, por isso tinha a peculiaridade de atingir os mais jovens e os mais velhos tinham algum resquício de imunidade. No fim, a doença se revelou muito menos letal do que a de agora.

Em projeção, com base na imunidade de rebanho, termo que vem da medicina veterinária e que é usado para estimar um percentual da população com imunidade para evitar a contaminação dos demais, estimasse que 10, 20 ou até 40% da população precise adquirir a infecção para evitar a sequência do contágio. Atualmente, com cerca de 1% da população brasileira contaminada, o número de mortes se aproxima de 90 mil. Seguindo esse raciocínio, num cenário em que 10% da população precisasse contrair o vírus para a imunidade de rebanho, o número de mortos poderia chegar a 900 mil pessoas. “Isso é inadmissível. E isso pode ocorrer se não fizermos o distanciamento. Não dá para ter um discurso simplista, existem dados mostrando que o distanciamento funciona”, comentou.

No entendimento do diretor, é possível fazer o isolamento e com o comércio funcionando. Além disso, destacou que muitos empreendedores estão se reinventando com o comércio on-line.  O grande problema, pelo menos em São Luiz Gonzaga, tem sido as aglomerações festivas. Praticamente metade dos casos que surgiram no município estão relacionados com algum evento ou comemoração particular. “Nossa preocupação é em salvar vidas e em absoluto querer que o comércio vá mal. A economia indo bem, todos vão bem”, concluiu.

Fonte: Rádio São Luiz