Ana Barros defende união de lideranças políticas da região em prol do Hospital São Luiz Gonzaga

(Foto: Arquivo/Rádio São Luiz)

Presidente da Câmara de Vereadores de São Luiz falou sobre recursos obtidos e que já estão nos cofres da casa de saúde

A presidente da Câmara de Vereadores de São Luiz Gonzaga, Ana Barros (PT), falou ontem (4/8) sobre as conquistas obtidas para o Hospital São Luiz Gonzaga neste ano de crise na saúde. A parlamentar, que há bastante tempo tem este segmento como uma das suas principais bandeiras – foi secretária de saúde na época de instalação dos Psf’s – defende a união de todas as lideranças políticas da região para que no futuro seja viável a instalação da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

Ela citou, como exemplo, mobilizações das quais participou e que já deram resultado, como a derrubada da centralização na distribuição dos medicamentos de pessoas em tratamento oncológico, que antes precisavam viajar até Ijuí para retirada; e projeto de lei encaminhado e aprovado na câmara são-luizense, o qual determinou que pessoas com suspeita de câncer tenham garantido os exames para diagnóstico em até 30 dias. Esta iniciativa, inclusive, foi citada na Assembleia Legislativa gaúcha como modelo e pode se tornar lei estadual.

Há cerca de dois anos, o projeto de instalar uma UTI no Hospital São Luiz Gonzaga ganhou força e a campanha foi iniciada. Recentemente, mobilização dos vereadores do PT dos municípios de Bossoroca, Santo Antônio das Missões, São Nicolau e Dezesseis de Novembro, resultou na destinação de R$ 1 milhão para a casa de saúde. O recurso já está no cofre do hospital.

A integração local e o trabalho conjunto com os demais partidos também foi citado pela vereadora. Ela presidiu uma comissão que reuniu colegas de bancada e que em Brasília, junto aos seus deputados, obtiveram mais R$ 2.600.000,00 para o hospital. Com este recurso, que também já está nos cofres da casa de saúde, será possível garantir a folha de pagamento até o fim do ano, inclusive com o 13º salário.

Fora isso, cerca de 20% do valor será empregado na criação de um novo serviço de oftalmologia para cirurgias de catarata. O tratamento custa em torno de R$ 6 mil e possui uma fila de aproximadamente 200 pessoas no município. “O SUS paga apenas 100 cirurgias e seria quase impossível dar fim a essa fila se não fosse esse recurso. Agora já está estruturado e deve começar tão logo passe a pandemia”, comemorou.

Por fim, a presidente lembrou o esforço das câmaras de vereadores da região, que por ocasião da Covid-19 destinaram R$ 260 mil para o hospital. A exceção, segundo ela, foi Roque Gonzales. “Ainda precisamos chegar aos R$ 8 milhões para pagar todas as contas, criar, organizar e manter a UTI por algum tempo. Na reunião de sexta-feira anunciamos mais R$ 1 milhão através do deputado Paulo Pimenta para o ano que vem e se os outros partidos se organizarem regionalmente podemos conseguir mais recursos”, concluiu.

Fonte: Rádio São Luiz