Capitã Liliane divulga campanha “Caixa Lilás” e fala sobre aumento da violência doméstica

(Imagem: Divulgação)

Isolamento social tem dificultado acesso das vítimas aos órgãos de segurança e apoio

O mês de agosto marca os 14 anos de criação da Lei Maria da Penha e, em alusão à data, a Brigada Militar lançou a campanha Caixa Lilás. A ação visa arrecadar gêneros alimentícios, materiais de higiene e agasalhos para serem repassados às vítimas de violência e que se encontram em situação de vulnerabilidade.

Conforme a capitã Liliane Engers Fracalossi Frohlich, apesar de o objetivo da Patrulha Maria da Penha não ser assistencial, o entendimento é que o grupo não pode se restringir ao verificar que as vítimas estão precisando de outros tipos de apoio. Em andamento desde o dia 7 de agosto, a campanha segue até o dia 31 deste mês. As doações podem ser feitas em diversos supermercados da cidade, farmácias e também no quartel do 14º Batalhão de Polícia Militar.

A escalada na violência preocupa os órgãos de segurança pública. Segundo a oficial, desde o início da pandemia houve uma redução de registros de ocorrências de agressão, mas ao mesmo tempo o aumento de casos de feminicídio. Na prática, isso significa que os casos de violência continuam ocorrendo e a vítima está com dificuldades de acessar os órgãos de segurança. “Com o isolamento, há mais consumo de bebidas, drogas, medicamentos e isso vai potencializando. O isolamento tem se apresentado como fator de risco, pois acarreta no enfraquecimento da rede de acesso dessa vítima”, explicou Liliane.

Em atuação desde abril, a patrulha são-luizense vem prestando um apoio cada vez mais próximo. “Nesse trabalho mais perto da vítima conseguimos ter uma sensibilidade maior de cada caso. O trabalho de campo é diferenciado”, avaliou a capitã. A Patrulha Maria da Penha atua com a rede de proteção e auxilia na busca por assessoria jurídica, atendimento psicológico e agora, neste período de perda de emprego, redução salarial, também no apoio assistencial. Colabore com a campanha!

Em caso de denúncias ligue para a Central de Atendimento à Mulher: telefone 180 ou para a Brigada Militar (55) 3352-4114 / 190.

Fonte: Rádio São Luiz