Liberação das atividades e provas campeiras só deve ocorrer mediante aprovação de cartilha pelo Governo do Estado

(Foto: Divulgação)

Previsão do MTG é que documento esteja pronto no início de outubro

O anúncio de liberação das atividades e provas campeiras feito pela Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural na semana passada não significa uma retomada imediata. Conforme o vice-presidente campeiro do Movimento Tradicionalista Gaúcho, Adriano Pacheco, a entidade ainda precisa elaborar uma cartilha regulamentando as atividades. O documento já tem 42 itens básicos elencados pelo comitê de crise sanitária estadual e deve ser concluído até 1º de outubro.

No momento, as lideranças estão trabalhando alinhadas com as 30 coordenadorias para avaliar as particularidades de cada região e, com isso, contemplar a todos. “É uma maneira de garantir a segurança das pessoas que vão participar das nossas atividades. Precisamos elaborar essa cartilha com responsabilidade. Temos a preocupação de não sermos transmissores da doença”, explica Adriano.

O vice-presidente destacou que a demanda vem sendo pleiteada desde maio e que agora é preciso ter consciência que o avanço será gradativo. “Sei que nossas entidades estão eufóricas pela retomada, mas temos que ter calma para não retroceder”, destacou Adriano ao reafirmar que a liberação só deve ocorrer em outubro.

Adriano reforçou a importância do avanço e justificou pelo grande número de trabalhadores informais que serão beneficiados. “São narradores, juízes, profissionais do manejo, transporte, enfim, muitos que estão parados desde então”, concluiu.

Fonte: Rádio São Luiz