Presidente do STR de São Luiz Gonzaga e Rolador fala sobre as lutas da categoria diante da pandemia

(Foto: Divulgação/STR)

Giovane Hoff também é vice-presidente da Regional Missões II

A luta dos trabalhadores rurais diante do cenário de crise da pandemia tem exigido bastante esforço de todas as lideranças na busca de soluções. Recentemente, houve o revés com o veto ao projeto de lei 735/2020, o qual previa subsídios do governo à categoria.

Para Giovane Hoff, vice-presidente da regional e presidente do sindicato de São Luiz/Rolador, “a única coisa positiva foi o esclarecimento de que aquele trabalhador que conseguiu se inscrever no auxílio emergencial não será prejudicado com a perda do seguro especial”. O trecho ainda não estava claro e causava apreensão.

Sem poder realizar mobilizações presenciais para apresentar suas reivindicações, os grupos têm apostado nas reuniões on-line e na participação efetiva de entidades como a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), que estão mais próximas às lideranças políticas nacionais.

As pautas incluem habitação rural, reforma previdenciária, crédito fundiário, entre outros assuntos que preocupam o trabalhador. Recentemente, a Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag-RS) se reuniu com outras entidades e cobrou resposta do INSS sobre o alto índice de indeferimentos de benefícios e a consequente suba nos casos de judicialização dos trâmites. “Isso tem gerado transtorno, demora e um alto custo para o próprio produtor”, lamentou Giovane.

Atualmente, o sindicato segue realizando atendimentos, mas com todos os cuidados de segurança. Serviços de destaque na atualidade são resoluções do ITR, financiamentos, benefícios previdenciários, encaminhamentos do Pronaf, entre outros.

Por Kelvin Morais

Fonte: Rádio São Luiz