Região das Missões retorna para bandeira vermelha no mapa preliminar divulgado pelo Estado

Desde que o governo passou a divulgar um mapa preliminar do Distanciamento Controlado, a partir da criação de uma instância recursiva, há três meses, o Rio Grande do Sul não apresentava um número tão baixo de bandeiras vermelhas. (Foto: Divulgação)

Pedido de reconsideração à classificação de risco pode ser feito via associação regional ou pelo próprio município, exclusivamente por meio de formulário eletrônico até as 6h de domingo (20/9)

Na versão preliminar do Distanciamento Controlado desta semana, a região de Santo Ângelo retorna à mensuração final compatível à bandeira vermelha. Em três indicadores, a região alcançou classificação de risco máximo (bandeira preta). É o caso do número de hospitalizações por Covid-19 nos últimos sete dias para cada 100 mil habitantes, que passou de 12,12 para 14,90, sendo o valor mais alto entre todas as regiões e indicando alta incidência entre a população.

O aumento no valor do indicador deveu-se a elevação de 23% nos registros de hospitalizações para Covid-19 nos últimos 7 dias (passou de 35 para 43 registros nesta semana). Entre os indicadores mais graves da região consta também a relação de leitos de UTI livres para o número pacientes de Covid-19 precisando de tratamento intensivo, de mensuração macrorregional, mas que exerceu elevado impacto na mensuração da região.

Com o registro de cinco óbitos nos últimos sete dias, o indicador de projeção do número de óbitos para o período de uma semana para cada grupo de 100 mil habitantes obteve bandeira laranja. No caso do indicador de Ativos sobre Recuperados, a região obteve bandeira laranja.

É importante ressaltar que São Luiz Gonzaga está no modelo de cogestão.

Fonte: Governo do Estado do RS