Tribunal de Justiça do RS muda entendimento sobre recurso que mantinha prefeito de Rolador no cargo

(Imagem: Divulgação/TJRS)

Caso diz respeito à condenação em fato ocorrido em 2008, quando Paulo era vice-prefeito e a administração foi denunciada pela colocação de três cargas de terra na entrada da casa de um produtor

O desembargador Marco Aurélio Heinz, do Tribunal de Justiça do RS, mudou o entendimento da liminar concedida a Paulo Peixoto suspendendo os efeitos da decisão que o afastou do cargo de Chefe do Executivo do Rolador/RS. A decisão foi publicada ontem 28/10.

A ação de improbidade movida pelo Ministério Público remete ao fato ocorrido em 2008, quando Paulo era vice-prefeito e a administração foi denunciada pela colocação de três cargas de terra na entrada da casa de um produtor. Em fevereiro deste ano, Paulo havia conseguido efeito suspensivo para seguir no cargo.

Segundo trecho da decisão, a mudança no entendimento do mesmo desembargador se dá “em razão de decisão exarada pelo Supremo Tribunal Federal na Suspensão de Liminar n. 570. Assim, nego provimento ao agravo, revogando a tutela antes conferida”.

A defesa de Paulo afirma que vai recorrer novamente da decisão no colegiado da corte.

Fonte: Rádio São Luiz