Brigada Militar poderá ser acionada se o eleitor se recusar usar máscara dentro da seção

(Foto: Arquivo/Rádio São Luiz)

Tribunal Superior Eleitoral determinou que aquele que se negar a usar o item não poderá votar

O major Eduardo dos Santos Brum, comandante do 14º Batalhão de Polícia Militar, falou hoje (13) sobre o trabalho da instituição neste período eleitoral. A atuação, que tem ocorrido de forma conjunta com os demais órgãos de segurança pública, Ministério Público Eleitoral e juízes eleitorais das comarcas que são da área de abrangência do batalhão, já foi necessária em alguns casos graves como nas prisões por formação de milícia privada, cuja pena pode ser de até oito anos de reclusão.

Leia mais: Polícia Civil, com apoio da Brigada Militar de SLG, prende homem investigado por liderar milícia privada armada em Pirapó

O oficial explicou que tem reforçado o efetivo e o policiamento das ruas no período noturno, especialmente nos municípios menores. A partir desta sexta-feira até domingo é provável que 100% do efetivo esteja nas ruas para garantir a segurança e evitar episódios de delitos comuns neste período.

No dia da eleição, equipes volantes estarão mobilizadas para dar suporte aos presidentes de mesas. Uma das preocupações é que o eleitor insista em ingressar na seção sem o uso de máscara. O Tribunal Superior Eleitoral determinou que aquele que se negar a usar o item não poderá votar e caberá ao presidente da mesa acionar os policiais caso aja insistência.

“Vamos manter a calma, serenidade e fica o pedido para que o eleitor ajude a fiscalizar as irregularidades”, concluiu.

Fonte: Rádio São Luiz