Região das Missões é classificada em bandeira vermelha mais uma vez

Destaca-se que, além do aumento, a quantidade de novas hospitalizações em proporção da população é bastante elevada, refletindo na bandeira preta para o indicador de incidência na região e sendo o mais elevado entre todas regiões Covid

Com níveis de hospitalização por Covid-19 e de internações em leitos de UTI que não eram registrados no mínimo há dois meses, o mapa preliminar da 28ª semana do Distanciamento Controlado, divulgado nesta sexta-feira (13/11), tem 11 regiões do Rio Grande do Sul com classificação de bandeira vermelha, o que representa alto risco epidemiológico.

O número de internados em leitos clínicos chegou, na quinta-feira (12/11), a 914 pacientes, aumento de 22% na comparação com a semana anterior. Houve elevação de 14% de infectados por coronavírus em UTI, o que provocou queda de 11% na disponibilidade de leitos para tratamento intensivo em toda a rede.

Com esse quadro, o indicador que mede a relação entre leitos de UTI livres e ocupados por Covid-19 no Estado recebeu bandeira vermelha, o que impactou as 21 regiões. As macrorregiões Metropolitana, Missioneira e Serra foram classificadas na bandeira preta (risco altíssimo) neste mesmo critério que mede a capacidade de atendimento dos casos que necessitam de tratamento intensivo.

Região Santo Ângelo

Na versão preliminar do Distanciamento Controlado desta semana, a região de Santo Ângelo obteve novamente mensuração final compatível à bandeira vermelha. Dos seus quatro indicadores regionais, Santo Ângelo alcançou classificação de risco máximo (bandeira preta) em um deles e alta (bandeira vermelha) em dois deles. Para o primeiro, é o caso do número de hospitalizações por Covid-19 para cada 100 mil habitantes. No caso das bandeiras vermelha, são os indicadores do número de hospitalizações por Covid-19 nos últimos sete dias e da projeção de óbitos. O indicador do estágio de evolução da doença obteve bandeira laranja.

Houve elevação nos registros de hospitalizações para Covid-19 nos últimos 7 dias, que passaram de 43 para 50 registros nesta semana, crescimento de 16%. Com o registro de 5 óbitos nos últimos sete dias, houve redução de 17% em relação aos registrados na semana anterior. No caso do indicador de Ativos sobre Recuperados, a região registrou 287 ativos para 676 recuperados. Destaca-se que, além do aumento, a quantidade de novas hospitalizações em proporção da população é bastante elevada, refletindo na bandeira preta para o indicador de incidência na região e sendo o mais elevado entre todas regiões Covid.

Fonte: Governo do Estado RS