Operação “Bad Ray” combate os crimes de organização criminosa e tráfico de drogas em Bossoroca, Santo Antônio das Missões e Ijuí

(Foto: Divulgação/PC)

Participam da operação 49 agentes da Polícia Civil, das Regiões de São Luiz Gonzaga e Santiago e 6 Delegados, 40 Policiais Militares do 14ª BPM de São Luiz Gonzaga. Houve participação dos canis da Brigada Militar de Santo Ângelo e do Exército Brasileiro de Santiago. Também estão sendo utilizadas 35 viaturas, bem como cão farejador

Operação, desencadeada na manhã desta sexta-feira (20), visa combater os crimes de organização criminosa e tráfico de drogas, nos municípios de Bossoroca, Santo Antônio das Missões e Ijuí. Serão cumpridas 34 ordens judiciais, sendo 21 Mandados de Busca e Apreensão e 13 de Prisões Preventivas.

As investigações tiveram início, a partir de informações de fatos ocorridos há vários anos, especificamente no ano de 2015, quando um indivíduo, atualmente recolhido ao sistema prisional, foi apontado como o fornecedor das drogas que estavam sendo comercializadas no município de Bossoroca, onde ocorreram algumas prisões em flagrante por tráfico de drogas, dando início a uma coleta de informações que levou à identificação de outros integrantes do grupo, alguns dos quais foram presos, mas continuaram suas atividades do interior de estabelecimentos prisionais e/ou após o egresso do sistema, tendo, ainda, outros mudado de cidade, mantendo, no entanto, os laços com o município, onde residem familiares, seguindo na distribuição de drogas para seus parceiros, em grande parte usuários que recebem as drogas para venda e para seu consumo próprio.

Com a finalidade de compreender a organização criminosa e identificar todos os envolvidos e considerando escassos recursos humanos para uma investigação de tal porte no município, iniciamos o monitoramento dos principais envolvidos, dando início à operação denominada ‘BAD RAY’, em alusão à designação de ‘raio’ muito utilizada pelo grupo usuário de cocaína, quando obtivemos informações que comprovam o envolvimento dos investigados e ainda apontam para a participação de outros integrantes do mesmo grupo que faz parte de bloco carnavalesco muito conhecido na cidade, cujos integrantes identificam-se dessa forma em redes sociais, onde demonstram publicamente sua ‘irmandade’ e convergência de interesses, constatando-se que o consumo de drogas no pequeno município missioneiro tornou-se habitual, especialmente entre os mais jovens, muitos ainda adolescentes, os quais, para manter o vício, assumem o papel de ‘vaposeiros’, distribuindo as drogas nas ruas, normalmente entre os conhecidos’ e de ‘mulas’, transportando as drogas em pequenas quantidades para evitar enquadramento em tráfico, no caso de serem abordados pelos policiais, cujas movimentações são acompanhadas por integrantes do grupo  e também por familiares que avisam os demais sobre a localização de viaturas policiais para antecipar algumas diligência.

As investigações possibilitaram, ainda, a comprovação de que os integrantes do grupo recebiam proteção e apoio no caso de alguma contrariedade em assuntos pessoais ou relacionados aos negócios, resultando em retaliações a quem se opusesse no caminho, com ações violentas e demonstrações de poder, garantidas com uso de armas de fogo.

No curso das investigações foram apreendidas drogas com, pelo menos, 11 (onze) usuários de drogas adquiridas dos investigados, cujos portadores responderam a Termos Circunstanciados, resultando, ainda, em 5(cinco) prisões em flagrante por tráfico de drogas e receptação de celulares subtraídos.

As provas produzidas possibilitaram a representação pela Autoridade Policial substituta no órgão, Elaine Maria Schons, pela decretação da prisão preventiva dos principais envolvidos, com suas atividades já comprovadas nos autos, no total de 13(treze) mandados de prisão e um total de 20(vinte) cautelares de busca e apreensão, com inclusão de residências de investigados em face dos quais não há mandado de prisão preventiva ainda expedido.

Todos os trabalhos investigativos, desde o início, contaram com a participação da Brigada Militar, sendo o êxito da operação creditado ao esforço conjunto e integrado entre as instituições de Segurança Pública que somaram esforços para esse enfrentamento, resultando, ainda, nesta data, por ocasião da execução das medidas cautelares, em mais apreensões que possibilitaram a autuação de outros investigados, elevando o número de presos da operação “BAD RAY’.

A conclusão do inquérito policial deverá chegar perto de 30(trinta) indiciados por envolvimento nas atividades da organização criminosa sediada no município, sendo o primeiro trabalho investigativo desse porte realizado no município.

Fonte: Polícia Civil