Estado divulga bandeiras e faz alertas sobre a covid-19

(Divulgação)

Mapa preliminar da 41ª rodada traz 16 bandeiras vermelhas

O mapa preliminar do modelo de Distanciamento Controlado, divulgado na sexta-feira, 12, traz 16 regiões em bandeira vermelha e apenas cinco em laranja (Bagé, Caxias do Sul, Ijuí, Pelotas e Santa Rosa). Resultado que reflete o alto risco para esgotamento da capacidade hospitalar e a velocidade de propagação do vírus no estado. Na véspera do Carnaval, o governo do Estado também fez alertas específicos sobre cuidados e o estágio da doença no Rio Grande do Sul.

Entre os indicadores monitorados pelo sistema de enfrentamento à pandemia, chamam a atenção a forte elevação no número de confirmados em leitos clínicos (+23%), o aumento nos registros de hospitalização (+32%) e também no número de óbitos (+16%). As internações em UTI se mantiveram estáveis (+1%).

Na 41º semana do modelo de Distanciamento Controlado, houve leve aumento no número total de leitos de UTI ocupados. Considerando a estabilidade no total de leitos e também dos confirmados com Covid-19 em UTI, a razão de leitos livres para cada ocupado por Covid-19 reduziu para 0,79 no Estado.

Aglomerações seguem proibidas

Com o Carnaval, o Gabinete de Crise chama a atenção para que os gaúchos sigam respeitando os protocolos, principalmente quanto à higienização constante das mãos, evitar aglomerações e o uso obrigatório de máscara em todas as bandeiras. “A segurança pública do Estado, em conjunto com os municípios, está pronta para agir de maneira preventiva, evitando aglomerações e festas clandestinas. Mas precisamos que a sociedade gaúcha contribua e siga tomando todos os cuidados necessários”, frisou o vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior.

Importante lembrar que as festas de Carnaval estão proibidas, por não atenderem aos protocolos mínimos de segurança sanitária. A estratégia adotada no modelo de Distanciamento Controlado utiliza-se de evidências científicas e análise de dados para definir níveis de riscos (traduzidos em bandeiras) e aplicar restrições na proporção, momento e local em que forem necessárias, com protocolos para cada atividade econômica conforme a região.

Região Santo Ângelo

A Região de Santo Ângelo apresentou piora na avaliação de um indicador que abrange dados específicos da região, totalizando três destes em avaliação de risco máxima (bandeira preta). Com a melhora na avaliação de dois indicadores de Velocidade de Propagação e outro de
Mudança da Capacidade de Atendimento da Macrorregião Missioneira, houve redução da média ponderada final da região, embora se mantendo dentro dos parâmetros que determinam a bandeira final na cor Vermelha.▪ Passíveis de adotar bandeira laranja na região: 9 de 24 municípios | 33.279 habitantes (11,5% da região).

Fonte: Governo do Estado do RS