Major Brum fala sobre a atuação do 14º BPM diante dos decretos publicados pelo Governo do Estado

(Arquivo/Rádio São Luiz)

“Depois que a aglomeração ocorre o efeito para fins de não propagação do vírus já se perdeu. Por isso o mais importante é a conscientização das pessoas”

O major Eduardo dos Santos Brum, comandante do 14º Batalhão de Polícia Militar, falou hoje, 23, sobre a atuação policial diante dos decretos editados pelo Governo do Estado visando conter o avanço da pandemia do coronavírus. O oficial explicou que o trabalho vem seguindo o mesmo padrão desde o início da pandemia, apoiando as vigilâncias municipais e atuando nas ações específicas, como impedir festas clandestinas.

Brum disse que a conduta é buscar “sempre o diálogo para que não haja necessidade de uso da força ou a criminalização das condutas”. Ele citou, como exemplo, o novo decreto publicado na sexta-feira (que agora ampliou a restrição das atividades entre o período das 20h às 5h) e a nota informativa divulgada na imprensa pedindo a colaboração da comunidade. Segundo o comandante, na região apenas uma festa, em Porto Xavier, precisou ser encerrada.

“Depois que a aglomeração ocorre o efeito para fins de não propagação do vírus já se perdeu. Por isso o mais importante é a conscientização das pessoas”, observou. O major também alertou que o momento é crítico e informou que hoje, conforme dados do início da manhã, o Estado tinha mais de 1000 pacientes internados em estado grave em leitos de UTI, “sem contar os de leitos clínicos”. Ele avaliou que a nossa região está mais tranquila “muito em razão das atitudes preventivas”. As aglomerações no litoral, por exemplo, resultaram em toda a região em bandeira preta.

Outro ponto destacado pelo comandante do 14º BPM é que não houve nenhum problema com os estabelecimentos comerciais. Junto com a vigilância sanitária, os brigadianos têm visitado os locais e alertado sobre o decreto que agora restringe o funcionamento a partir das 20h até 5h. “Aguardamos a compreensão de todos nos próximos dias”, destacou.

Brum concluiu alertando que o decreto publicado ontem, ampliando o tempo de suspensão das atividades, precisa ser observado pelos realizadores das atividades religiosas. Como os cultos normalmente ultrapassam às 20h, os organizadores precisam ficar atentos para estarem dentro do horário e das regras de distanciamento estabelecidas.

Fonte: Rádio São Luiz