Abertura da exposição 7 Povos: Retratos de um Território, marca a reabertura do Centro Cultural do Patrimônio – Paço Imperial (CCPPI) no Rio de Janeiro

(Divulgação/AMM)

Diretor do Departamento de Turismo da Funmissões, prefeito de São Miguel das Missões José Roberto representou a Região Missioneira no evento

Após quase um ano fechado, o Centro Cultural do Patrimônio – Paço Imperial (CCPPI) reabre ao público. Um dos principais espaços culturais da cidade do Rio de Janeiro (RJ), o Paço adotou uma série de medidas sanitárias para reforçar a segurança dos visitantes. Quatro mostras marcam a reabertura do Paço: 7 Povos: Retratos de Um TerritórioBarcos do Brasil e do MundoLimite Oblíquo; e Luz no Brasil.

A visitação é gratuita e as mostras permanecem em cartaz até 25 de abril. Nesta quinta-feira, 25 de fevereiro, um evento para representantes de setores culturais inaugurou as exposições, às 14h. Para evitar aglomerações o encontro foi restrito a poucos convidados.

Unidade especial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o Paço adotou protocolos para combater o contágio do novo coronavírus (Covid-19). Aferição de temperatura, uso obrigatório de máscara, monitoramento do fluxo de visitantes, circulação do público com distanciamento social, disponibilidade de álcool em gel, entre outras ações tornam-se essenciais para garantir a reabertura segura do Centro Cultural.

A exposição 7 Povos desbrava o território, a geografia, a história, bem como a vida sociopolítica e cultural das Missões Jesuítico-Guarani, no Rio Grande do Sul (RS). Idealizada pelo Iphan, autarquia federal vinculada ao Ministério do Turismo e à Secretaria Especial de Cultura, a exposição integra um projeto de cooperação internacional em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e a Agência Brasileira de Cooperação (ABC), vinculada ao Ministério das Relações Exteriores.

Por meio de mapas históricos e contemporâneos, a mostra conta a narrativa da ocupação do território. Recursos multimídia e de realidade aumentada enriquecem o percurso remoto do visitante pelo sítio histórico. Além de textos, fotografias e vídeos sobre a região missioneira, o público conta com um aplicativo digital desenvolvido pelo Iphan para potencializar a experiência da visita. Disponível para download gratuito na Google Play e na App Store, a aplicação contém jogos educativos, trilha sonora e recurso para a visualização de conteúdo em realidade aumentada.

Fonte: Assessoria de Imprensa da AMM