HSLG declara emergência e afirma que situação pode evoluir para estado de calamidade

(Arquivo/Divulgação)

O Hospital São Luiz Gonzaga divulgou comunicado para a imprensa no fim da manhã desta quarta-feira, 3, declarando situação de emergência diante da ocupação máxima dos leitos da ala covid-19. A interventora Iria Diedrich, que assina a nota, afirma que a situação pode evoluir para estado de calamidade “caso não ocorra melhora no quadro geral enfrentado”.

O documento cita a propagação descontrolada da doença, o risco real de sequelas e morte após contrair o vírus, a falta de produtos essenciais como oxigênio, medicamentos e leitos de UTI em todo o Estado e a “falta de recursos financeiros para fazer frente as despesas necessárias, uma vez que não há repasse estadual ou federal em socorro da instituição”.

A nota reforça que esta é uma das maiores crises já enfrentadas em todo o mundo e afirma que o Hospital não tem condições de fazer enfrentamento de maneira isolada, sendo necessária a colaboração de todos os setores da sociedade.

Em anexo, o Hospital também enviou uma planilha com os gastos em insumos e materiais para enfrentamento da pandemia. Somente nos meses de janeiro e fevereiro foram quase R$ 60 mil reais. Ano passado esse valor foi de R$ 28 mil, o que revela o aumento do consumo somado a elevação do custo dos produtos.

Mais cedo, em entrevista para a São Luiz, o presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde e prefeito de Bossoroca, Juca Dutra, já havia alertado para a situação, afirmando que os próprios medicamentos necessários para proceder com intubação do paciente tiveram os preços extrapolados e está difícil encontrar no mercado. “Não é para causar pavor, mas para pedir para todos somarem esforços e evitar a propagação”, afirmou.

 

Abaixo os documentos enviados pelo Hospital:

COMUNICADO

PLANILHA GASTOS COVID

Fonte: Rádio São Luiz