Vereador João Iuri explica por que votou contra moção apresentada pela vereadora Ana Barros

(Arquivo pessoal/Divulgação)

O vereador João Iuri (PSD) explicou hoje, 8, os motivos pelos quais votou contra a moção apresentada pela vereadora Ana Barros (PT) em apoio ao Projeto de Lei nº 74/2020, que prevê a instituição, de forma imediata, do Programa Emergencial de Renda Básica no âmbito do Rio Grande do Sul, proposto pelo Deputado Estadual Valdeci Oliveira. O parlamentar argumentou que a vereadora não estava presente no momento da votação e portanto não fez a defesa da “falha regimental” que foi constatada pelas lideranças.

“Não tem nada a ver aprovar o auxílio ou não, até porque na semana anterior havíamos votado um anteprojeto de lei que precisava ter maior discussão da própria vereadora”, referiu João Iuri ao citar a criação da política municipal de Renda Básica proposta por Ana. “Não somos contra nenhum auxílio emergencial, embora ela tenha colocado isso nas redes sociais tentando jogar o povo contra nós. É um desrespeito contra os colegas”, afirmou.

O vereador disse ainda que Ana quer o “monopólio das ações da Casa, como se só ela lutasse. Ela que é a mãe da regularização, agora quer ser a mãe da compra das cestas básicas, que é uma ideia do presidente Laureano. O vereador Mário, presidente da comissão, que convocou a reunião com a Ação Social para definir os critérios de compra”, explicou o parlamentar sobre a reunião da Comissão de Bem Estar Social com a Secretaria de Ação Social para oferecer ajuda e repasse para compra de cestas básicas.

“A Câmara está engajada nas situações que o município está enfrentando. Não tenho medo de enfrentar a verdade. Até eleitores meus comentaram em cima de uma história distorcida. Temos que rebater e não podemos ficar quietos. É muito triste que a vereadora tenha atacado dessa forma”, concluiu.

Fonte: Rádio São Luiz