Caibateense se forma como mergulhador da Marinha do Brasil

(Divulgação)

Desde o início deste mês, o seleto grupo de mergulhadores da Marinha do Brasil conta com o nome de um caibateense: Alberto Friedrich Kist. O capitão-tenente saiu da casa dos pais Ana Maria Friedrich Kist e Nelson Kist, em Caibaté, aos 13 anos com o objetivo de crescer na vida. Entrou na Marinha em 2009, formou-se na Escola Naval em 2012 e agora adicionou mais um título ao currículo militar: o de mergulhador oficial.

Alberto, conhecido como Betinho, explica que o Curso de Mergulho é uma vertente da carreira militar e a preparação leva aproximadamente um ano. Anteriormente, ele já trabalhava embarcado em navios. Agora, como mergulhador, o serviço fica mais focado em busca e salvamento de pessoas, resgate em alto mar, socorro de submarinos, fazendo até mesmo uso de explosivos para abrir passagens para navios.

“Na Marinha, a gente pode ser diversas coisas. Desde engenheiro a piloto de helicóptero, piloto de caça, mergulhador, pesquisador… o leque de oportunidades é muito grande”, destaca Alberto, que incentiva outros caibateenses a seguirem carreira militar também.

Ele comenta que demorou três anos para conseguir ser aprovado na Escola Naval. Uma trajetória difícil, mas que trouxe muitas recompensas. Em 2013, aos 25 anos, quando fez seu estágio de formação, pode conhecer mais de 20 países, durante a chamada Viagem de Instrução. Na família foi o primeiro a seguir carreira militar, e um dos poucos do município de Caibaté, o que sempre causou orgulho para os pais. “Das barrancas do Uruquá para os Sete Mares”, brinca ele, que garante: “o ingresso é caro, mas o show vale a pena!”

Fonte: Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Caibaté