Estelionatários aplicam novo golpe virtual; prejuízo de vítimas da região pode ter superado os R$ 70 mil

(Ilustrativa/Divulgação)

Golpes estão cada vez mais sofisticados e visam atingir, principalmente, as pessoas idosas

Uma nova modalidade de estelionato vitimou moradores de Caibaté na semana passada. Conforme o delegado Heleno dos Santos, chefe da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), o valor do prejuízo a pelo menos cinco vítimas foi de aproximadamente R$ 70 mil reais.

O golpe consiste na instalação de um aplicativo que permite o manuseio do celular à distância pelos criminosos, os quais possivelmente sejam de fora do estado. Segundo o delegado, os estelionatários ligam para a vítima se passando por um funcionário do banco no qual o cliente possui conta e dizem que é preciso realizar uma “atualização no aplicativo bancário”. Após, eles pedem para que a pessoa baixe o aplicativo de acesso remoto para que a “manutenção” seja feita.

O discurso é bastante convincente. Para ganhar confiança eles informam, inclusive, dados pessoais da vítima.

De posse da senha – que a vítima acaba repassando por acreditar que o interlocutor é funcionário do banco – e com acesso ao celular do cliente, os estelionatários fazem as movimentações, inclusive por meio do PIX.

A orientação para evitar este tipo de golpe, segundo Heleno, é muito simples: ligue para o banco que você possui conta e pergunte se estão fazendo algum serviço de manutenção remoto. As agências não solicitam a senha do cliente por meios virtuais. Desconfie e procure a polícia.

Fonte: Rádio São Luiz