Homem é preso pela Polícia Civil, em Porto Xavier, por agredir a companheira

(Ilustrativa/Divulgação)

A vítima, mulher de 35 anos, dirigia-se à delegacia a fim de noticiar as agressões enquanto foi perseguida e agredida pelo acusado em via pública

A Polícia Civil, por intermédio da Delegacia de Polícia de Porto Xavier, efetuou a prisão de um homem de 35 anos pelos crimes de lesão corporal e ameaça praticados contra sua companheira, também de 35 anos de idade. O homem capturado se encontrava na condição de foragido desde o dia 22/03, quando teve sua prisão preventiva decretada pelo Poder Judiciário de Porto Xavier.

Na ocasião, a vítima foi lesionada e ameaçada pelo agressor, em via pública, a poucos metros da Delegacia de Polícia, enquanto se dirigia à unidade policial a fim de noticiar as agressões e ameaças que vinha sofrendo por parte do companheiro, o qual não aceitava o fim do relacionamento.

Logo após o fato, o indivíduo fugiu para o interior de Porto Xavier. Foram realizadas diligências com a intenção de capturá-lo, por dois dias seguidos, por parte da Polícia Civil com o apoio da Brigada Militar, tendo em vista que as informações davam conta de o suspeito, que estaria escondido e de posse de armas de fogo. Aliado a isso, teria dito a familiares que não se entregaria com vida. As buscas ocorreram na zona rural do município.

No entanto, na manhã de hoje, 24, o homem se apresentou à Polícia Civil. Após ser interrogado a respeito dos fatos, foi encaminhado ao sistema prisional onde permanece à disposição da justiça. As investigações persistem. O inquérito policial, presidido pelo Delegado de Polícia Anderson Pettenon, deve ser remetido à justiça no prazo legal de dez dias. O homem deve ser indiciado pelos crime de lesão corporal qualificada, ameaça, posse ilegal e disparo de arma de fogo.

A Polícia Civil renova o alerta às vítimas em situação de violência doméstica e familiar contra a mulher para que denunciem situações de violência, tendo a Lei Maria da Penha um importante instrumento a fim de resguardar e proteger mulheres em situação de vulnerabilidade.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Polícia Civil