Credibilidade da Coopatrigo é um dos pontos fortes para a entrega da produção de soja

(Divulgação)

A safra de soja já está em andamento em toda a área de atuação da Coopatrigo que atualmente engloba mais de 300 mil hectares cultivadas com a oleaginosa.

Como a soja é a principal comodities e consequentemente muito concorrida pelas empresas do ramo, a Coopatrigo coloca o seu “Plano Safra” como o grande diferencial para a entrega de produção em suas Unidades com valorização do preço pago ao associado.

Ao todo são 12 itens que compõem este “Plano Safra” alguns com ganhos tangíveis e outros intangíveis, mas se analisados pelos produtores significam muito para a viabilidade da propriedade e compensam algumas propostas imediatistas que são colocadas para os produtores neste momento da safra.

O Plano Safra inicia pela credibilidade da Coopatrigo que é alicerçada na sua história de mais de 63 anos de atuação na região, dando todo o suporte para os seus associados desenvolverem as suas atividades na propriedade, incluindo a cultivo e desenvolvimento da soja, desde o planejamento, preparo da terra, fornecimento de insumos, plantio, manejos de pragas e doenças através de uma assistência técnica de qualidade que sempre foca o aumento da produtividade com sustentabilidade. A partir daí se somam o “limite de crédito” que o próprio associado constrói com a sua entrega de produção; a “logística” que a Coopatrigo apresenta ao seu associado com 24 pontos de recebimento, sem a necessidade de fazer grandes quilometragens para entregar a produção de soja; “faturamento a vista de 100 sacos”; “isenção de taxa”; “bônus assistência técnica”; onde a cooperativa devolve os valores descontados para a assistência técnica nos custeios agrícolas; “programa de agricultura de precisão”; “serviços de laboratório de solos e sementes”; “programa troca troca de sementes” garantindo o principal insumo para a formação da próxima lavoura a um custo mais baixo; “plus por volume” onde a Coopatrigo paga um valor acima do preço de pedra para ajudar nas despesas com a safra; “selo verde” que é um valor acima do preço de pedra pago exclusivamente para os associados dapianos; e o último item que é o “retorno” valor pago acima do preço de pedra no final do ano, onde 50% do resultado líquido da Coopatrigo é destinado para os associados, ou seja quanto mais produção de soja o associado entregar mais resultado a cooperativa vai ter e consequentemente conseguirá pagar um “retorno” maior na entrega da soja.

A todos estes itens ainda se soma o fato da Coopatrigo praticar em qualquer uma de suas Unidades, independente da distância ou se tem estrada pavimentada ou não, o preço da soja baseado nos praticados pela Cotripal, que está em uma localização geográfica melhor que a nossa região, ou seja, possui um custo mais baixo para a escoação da safra.

Por Roberto Marques Assessor de Comunicação Coopatrigo