Escolas municipais participam de concurso literário e de projeto sobre as culturas indígena e afrodescendente na formação da cultura gaúcha

(Foto: Divulgação / SEMEDE)

Propostas buscam proporcionar o protagonismo dos estudantes e a valorização do ser humano 

Elaborar e desenvolver projetos são maneiras de estimular a pesquisa, resolver problemas, almejar objetivos e levantar hipóteses por meio de metodologias a serem seguidas. As temáticas que partem de projetos conseguem despertar a criatividade, aguçar a curiosidade e estimular a leitura e a escrita. 

De acordo com a integrante da Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SEMEDE), a professora Cristiane Barbosa de Oliveira, com a elaboração de projetos, busca-se superar as práticas tradicionais de ensino. “Esperamos que tanto professores como educandos se sintam motivados com esta didática de ensino e aprendizagem. E que as aulas, sejam elas remotas ou híbridas, aconteçam de maneira contextualizada, dinâmica e criativa, proporcionando o protagonismo dos estudantes”, afirmou.  

Ciente da importância de desenvolver projetos na Educação Básica, a Rede Municipal de Ensino planejou para o ano letivo de 2021 o desenvolvimento de algumas propostas. Entre elas, o projeto do Concurso Literário “Ser Estudante em 2020: compartilhando vivências e aprendizagens na Rede Municipal de Ensino”, que estimula a leitura e a escrita. Também está em desenvolvimento o Projeto Cultural “Conhecendo e valorizando a história das culturas indígena, gaúcha e afrodescendente”, que instiga a pesquisa sobre os povos indígenas e negros na construção da cultura gaúcha.           

Concurso Literário

O projeto do Concurso Literário visa instigar nos alunos o desenvolvimento das habilidades de leitura, escrita e desenho, demonstrando emoções e aprendizagens vivenciadas no ano letivo de 2020. A proposta foi apresentada aos coordenadores, os quais se encarregaram de divulgar o projeto nas escolas para os professores de Português dos Anos Finais, professores dos Anos Iniciais (Ensino Regular e a Educação de Jovens e Adultos – EJA) e professores da Educação Infantil.  

Atualmente, os professores desenvolvem com os estudantes trabalhos de incentivo à leitura, escrita, interpretação e produção de desenhos. Em maio, cada escola irá se organizar com autonomia para realizar um concurso interno de desenho, paródia e texto narrativo. Até 8 de junho, os trabalhos dos vencedores em suas categorias deverão ser enviados à SEMEDE. “A equipe da secretaria formará uma banca avaliadora com professores renomados da área das linguagens que não atuam na Rede Municipal de Ensino. A banca terá a difícil tarefa de analisar cautelosamente cada trabalho e selecionar um por categoria, para serem os vencedores do concurso literário”, informou a professora Cristiane.  

Os ganhadores serão premiados no dia 11 de agosto (Dia do Estudante), com premiação para 1º e 2º lugar. A organização da entrega dos prêmios vai depender de como estará o quadro da pandemia de COVID-19. Também receberão premiação especial os professores orientadores dos alunos que se classificarem em 1º lugar 

Projeto Cultural

O Projeto Cultural visa à valorização e o conhecimento da cultura gaúcha, a qual é herança de muitos povos, entre eles as populações negra e indígena. O estudo da cultura afrodescendente e indígena se tornou obrigatório para inclusão no currículo da Educação Básica, a partir das Leis Federais nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003, e nº 11.645, de 10 de março de 2008.  

O projeto tem o objetivo de resgatar a parte histórica e valorizar o legado deixado pelas populações. “Essa retomada histórica auxilia na reflexão sobre as diferenças raciais e a importância de cada um no processo de construção de nosso país, estado e comunidade. A cultura indígena sempre esteve presente na história do Brasil. Suas terras, crenças, costumes e hábitos de vida foram afetados. Já os negros foram trazidos da África, escravizados, servindo como mão de obra sem custos, gerando lucros para os seus proprietários. Com este projeto, esperamos que a valorização do ser humano ultrapasse as fronteiras da violência, do preconceito e do racismo”, destacou a professora.  

O Projeto Cultural foi enviado via e-mail para as escolas e também nos grupos de WhatsApp dos gestores e coordenadores. Os professores foram comunicados sobre o Projeto Cultural pelos coordenadores e têm trabalhado com os alunos as culturas indígena, afrodescendente e gaúcha. 

Após a realização dos trabalhos pelos alunos (maquetes, fotos, desenhos, textos, pesquisas, entrevistas, entre outros), as escolas irão selecionar até três trabalhos por nível e modalidade de ensino – APAE, Educação Infantil, Ensino Fundamental (Anos Iniciais, Anos Finais Regular) e EJA – para expor na SEMEDE, conforme as datas escritas no cronograma do projeto.  

Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de São Luiz Gonzaga com informações da SEMEDE