Projeto de Lei do vereador João Iuri prevê “ampliação na transparência da vacinação” em São Luiz Gonzaga

João Iuri (Foto: Emerson Scheis/Assessor de Comunicação da Câmara de Vereadores)

Parlamentar sugere que Secretaria Municipal de Saúde divulgue boletim semanal com dados da vacinação contra a covid-19 no município

Foi aprovado na Câmara de Vereadores de São Luiz Gonzaga o Projeto de Lei do vereador João Iuri (PSD), cujo texto prevê a “ampliação na transparência da vacinação” no município. Segundo o parlamentar, a ideia é que a secretaria, por meio das redes sociais, tal como faz com o boletim de internações e diagnósticos de novos casos, elabore um boletim semanal com os dados da vacinação.

A sugestão é que conste a totalidade de doses aplicadas, tanto a 1ª como a 2ª dose; quantos imunizantes o município recebeu; percentual da população já vacinada na primeira e segunda dose, com disponibilização de gráficos evolutivos, em função da população e tendência.

João Iuri justifica que o objetivo é ampliar a transparência, “um dos lemas de sua campanha”, e oportunizar que a população possa ter uma previsão de quando será imunizada diante das tendências. “Assim como já faz o Ministério da Saúde e o Governo do Estado, queremos que a Secretaria de Saúde faça em nível municipal”, disse.

Projeto de Lei sobre atividade física assistida por profissional de Educação Física

O vereador comentou, também, o parecer contrário da assessoria jurídica do município ao seu Projeto de Lei, o qual incluía a atividade física assistida por profissional de Educação Física como serviço essencial. Ele contestou alegando que existem aprovações em outros 30 municípios e que o PL encontra respaldo em decisões do próprio governo do estado.

O parecer contrário de Junaro Rambo Figueiredo, que é o assessor jurídico do município, surpreendeu o vereador, que reclamou na tribuna na sessão de segunda-feira. A situação gerou desconforto entre João Iuri e o vereador Fraguinha (PP), que defendeu a posição do ex-prefeito e atual assessor, mas a situação “foi superada”, garante João.

Segundo o parlamentar, o seu projeto deve voltar para a Casa e o veto deve ser derrubado. Ele precisa de nove votos e está confiante, pois tem parecer jurídico favorável da assessoria da Câmara.

Fonte: Rádio São Luiz