Agricultura prorroga prazos para cadastro de aplicadores e venda orientada de agrotóxicos hormonais

Sintomas de fitotoxicidade pelo herbicida 2,4-D em videiras. (Foto: Michelle Rodrigues/Seapdr)

A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural publicou na quinta-feira, 16, no Diário Oficial do Estado instrução normativa que prorroga os prazos, para até 31 de maio de 2021, do cadastro de aplicadores e da venda orientada de agrotóxicos hormonais para os 473 municípios que teriam a obrigação em junho de 2020. O prazo anterior se encerraria em 31 de maio deste ano.

Conforme o fiscal agropecuário Alonso Andrade, a medida impacta cerca de 95% dos produtores rurais. As instruções normativas haviam sido elaboradas para deter os prejuízos causados pela deriva do 2,4-D, entre outros, que aqui na região afetaram parreirais em Santiago e São Borja.

A exigência – temporariamente adiada – prevê que todos os produtores que compram herbicidas tenham um aplicador com curso para orientar todo o sistema de aplicação. Como a pandemia impediu que fossem realizados os cursos de treinamentos, a Secretaria de Agricultura então tomou essa decisão.

Alonso ressalta, no entanto, que a exigência é necessária por causa da falta de conhecimento técnico em muitos aplicadores. Ele reforça que quando “se fala em derivas não são só os danos a terceiros, mas de produto jogado fora e com prejuízo financeiro ao produtor”.  O prazo para adaptação agora passou para 1º de junho de 2022.

Fonte: Secretaria da Agricultura do RS