Bossoroca realiza campanha de conscientização para combater o mosquito Aedes aegypti

(Divulgação)

Na terça-feira, 27, a Secretaria Municipal de Saúde de Bossoroca, por meio da Vigilância Epidemiológica, realizou a entrega de panfletos com alerta de cuidados contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus. A ação foi realizada no Bairro Gaúcha e Centro.

O Secretário de Saúde, Jobe Silveira, comentou que a “ação foi voltada a informar, orientar e entregar panfletos educativos à população, sobre os cuidados para evitar a proliferação do mosquito. Foi um dia de intenso trabalho com a participação dos Agentes de Endemias, Agentes Comunitários de Saúde de cada ESF. Cada um fazendo sua parte, não teremos dengue em Bossoroca”.

Em virtude da confirmação de casos de dengue e de chikungunya em município vizinho, e pelo alto índice de infestação nos municípios da região da 12ª CRS, o Executivo solicita a colaboração da comunidade bossoroquense para garantir a intensificação na eliminação de focos do aedes aegypti, limpeza adequada do pátio e descarte correto do lixo.

Definição de caso suspeito de dengue e chikungunya.

Dengue:

“Pessoa que viva em área onde se registram casos de dengue, ou que tenha viajado nos últimos 14 dias para área com ocorrência de transmissão de dengue (ou presença de A. Aegypti)”.

Deve apresentar febre, usualmente entre 2 e 7 dias, e duas ou mais das seguintes manifestações:

  • náusea, vômitos;
  • exantema(manchas vermelhas na pele)
  • mialgias, artralgia(dor constante profunda e dor nas articulações)
  • cefaleia, dor retro-orbital(dor de cabeça e dor ao redor dos olhos)
  • petéquias(pequenas manchas vermelhas ou marrom que surguem mais frequente aglomeradas nos braços e pernas)
  • prova do laço positiva(após o resultado positivo deve se fazer um exame que confirme a presença do vírus)
  • leucopenia(contagem total de leucócitos abaixo do limite inferior)

Chikungunya:

Paciente com febre de início súbito maior que 38,5ºC e artralgia ou artrite intensa de início agudo, não explicado por outras condições, sendo residente ou tendo visitado áreas endêmicas ou epidêmicas até duas semanas antes do início dos sintomas ou que tenha vínculo epidemiológico com caso confirmado.

Os cuidados no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, devem durar todo o ano, inclusive, em período de chuvas.

A população deve ficar atenta ao acúmulo de água em locais como calhas, pneus velhos, garrafas, além de manter quintais sempre limpos. É preciso trocar a água dos pratos de plantas. Também deve-se tampar tonéis, depósitos de água, caixas d’água e qualquer tipo de recipiente que possa reservar água, para assim evitar sua proliferação.

Fonte: Assessoria de Comunicação