Por segurança, residentes do Lar do Idoso que testaram positivo para covid-19 são internados

(Arquivo/Divulgação)

Medida foi tomada para facilitar o isolamento; dr. José Renato explica que mesmo vacinadas as pessoas podem contrair o vírus, o que não significa que o imunizante é ineficaz, mas que ele evita casos graves

O Lar do Idoso São Vicente de Paula, pela primeira vez desde o início da pandemia, teve o registro de casos positivos de covid-19 entre residentes e funcionários. Segundo o médico José Renato Grisolia, sete moradores foram internados no Hospital São Luiz Gonzaga. A medida, explica ele, ocorre para que se possa fazer um isolamento adequado destes pacientes, pois no Lar é mais difícil cumprir o protocolo. “Alguns moradores têm demência e é difícil manter em local isolado”, explica.

Mesmo tendo recebido as duas doses, ou seja, com esquema vacinal completo, essas pessoas que testaram positivo para o vírus não podem ser tomadas como exemplo de que a vacina é ineficaz. José Renato destaca que o imunizante não tem 100% de eficácia, contudo evita o desenvolvimento de quadros graves.

A preocupação é que possa ter ocorrido aqui o contágio por uma nova cepa, a exemplo do que já ocorreu em São Borja. Exames para identificar o tipo de vírus responsável pelos casos serão enviados para o Rio de Janeiro. A variante P1, por exemplo, tem se mostrado mais virulenta e contagiosa.

No momento, as equipes de saúde acompanham a evolução do quadro destes pacientes. “A grande lição que tiramos disso é que a vacina não é um salvo conduto e os cuidados devem seguir. Não é motivo para pânico ou achar que a vacina não funciona”, conclui.

Fonte: Rádio São Luiz