Raiva bovina já vitimou mais de 60 animais em propriedade de Itacurubi

(Ilustrativa/Divulgação)

Animais que apresentam a doença acabam morrendo de 4 a 6 dias após manifestação dos sintomas

O médico veterinário e fiscal estadual agropecuário Francis George Soares Rocha falou nesta sexta-feira, 18, sobre a confirmação de casos de raiva em bovinos no município de Itacurubi. Segundo o especialista, a investigação iniciou no dia 18 de maio, após o produtor comunicar situação suspeita à Inspetoria.

Neste primeiro contato, as equipes constataram cinco animais com sinais clínicos leves e dois com sinais clínicos avançados. Foi feita a coleta para exames no laboratório estadual e a confirmação saiu no dia 9 de junho. Desde então, mais de 60 bovinos já morreram vitimados pela doença.

Como se trata de uma doença geralmente transmitida pela mordida de morcegos, as equipes iniciaram a investigação de possíveis focos. Havia duas furnas cadastradas perto do Rio Itacurubi, na divisa com Santo Antônio das Missões, mas nestes locais não foram encontrados. A investigação prosseguiu e em dois pontos, em ocos de árvores, foram então localizados mais de 215 morcegos.

Francis ressalta que nessa situação o fato deve ser comunicado à Inspetoria, pois além de não ser recomendado ao produtor manusear o morcego, pelo risco de contrair a doença, somente o pessoal da Secretaria pode fazer esse controle populacional.

Os sintomas mais comuns da manifestação da doença nos animais são a mudança no comportamento, afastamento do bando, falta de apetite, nervosismo e aparência de assustado, fraqueza, paralisia dos membros e salivação abundante. Como é uma zoonose, ou seja, pode ser transmitida para o ser humano, a recomendação é que o produtor não faça a manipulação e comunique o fato à Inspetoria.

Na propriedade em questão, hoje será feita vacinação antirrábica nos caninos e felinos, pois estes também correm o risco de desenvolver a doença. As equipes também estão atuando para o controle da infestação dos morcegos.

Fonte: Rádio São Luiz