Prefeito Sidney Brondani fala sobre demandas locais que apresentou ao governador Eduardo Leite

(Divulgação)

Conversa ocorreu durante solenidade de sanção da lei que declarou São Luiz Gonzaga como a Capital Gaúcha do Arroz Carreteiro

O prefeito Sidney Brondani falou hoje, 14, sobre a agenda cumprida em Porto Alegre na segunda-feira, ocasião em que o governador Eduardo Leite sancionou a Lei que declarou São Luiz Gonzaga como a “Capital Gaúcha do Arroz Carreteiro”. Ele ressaltou a importância do título para o fortalecimento da imagem do município, exemplificando a visibilidade que o próprio ato de promulgação deu a São Luiz Gonzaga em programas de TV de nível estadual.

Outro benefício deste encontro foi a oportunidade que Brondani teve – ainda que de forma breve, durante o almoço comemorativo, realizado no Galpão Crioulo do Palácio Piratini – de apresentar ao governador algumas pautas importantes para o município. Um dos assuntos foi a conclusão da ERS 165, que liga São Luiz a Rolador, obra para a qual Eduardo Leite garantiu ter recurso garantido. O governador ainda disse que deve estar no ato inaugural da rodovia, o que deve ocorrer entre o fim deste ano e início de 2022.

A situação da ponte da ERS 168, entre São Luiz e Bossoroca, foi outro assunto levado ao chefe do Piratini. O prefeito disse que a resposta é que o projeto está sendo analisado e que o estado deve anunciar, em breve, a recuperação da estrutura, que atualmente está com limitação de passagem de veículos pesados, gerando riscos aos motoristas que se arriscam passando pelo trecho, especialmente no período da safra.

A terceira reivindicação de Brondani foi sobre a necessidade de professores para a UERGS. O gestor disse que a Unidade é orgulho para São Luiz Gonzaga e que a instituição é uma das únicas a ofertar o curso de Agronomia, o que é muito importante para uma região que tem o agronegócio como característica principal. O prefeito disse ter comentado que o município é parceiro da Universidade, inclusive no atual processo de construção da sede própria da UERGS, e externou sua preocupação com o risco de não haver docentes para dar continuidade a cursos como o de Agronomia. Audiências para alinhavar essas questões foram marcadas.

Fonte: Rádio São Luiz