Juíza eleitoral cassa o mandato do prefeito e vice eleitos de Capão do Cipó

Investigação se desenrola desde o ano passado (Arquivo/Gaeco)

Município de quase quatro mil habitantes fica próximo de Santiago

A juíza eleitoral Ana Paula Michel Santos, que responde pela 44ª Zona Eleitoral, com base no artigo 30 A da Lei das Eleições, o qual prevê apuração de “condutas em desacordo com as normas desta Lei, relativas à arrecadação e gastos de recursos”, cassou o mandato de Osvaldo Froner, do Progressistas, e Anselmo Cardoso, do PDT, prefeito e vice eleitos no ano passado no município de Capão do Cipó. A ação foi movida pelo Ministério Público Eleitoral (MPE), que acusa os eleitos de terem comprado votos.

A investigação concluiu que os dois e mais alguns apoiadores teriam ofertado materiais de construção e combustível em troca de voto antes e durante a campanha de 2020.

Segundo o titular do Cartório da 44ª Zona Eleitoral, Gidião Damian, em conversa com a reportagem da São Luiz, a decisão, em primeira instância, tem efeito imediato, mas cabe recurso.

Ele explicou que a defesa deve encaminhar o pedido de revisão para o Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Caso o TRE tenha o mesmo entendimento da juíza Ana Paula, novas eleições serão marcadas dentro de um prazo de 60 dias, mesmo que ainda caiba recurso à última instância que é o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O novo pleito ocorreria, portanto, antes do fim do ano e sem a presença dos ora cassados. Neste ínterim, o município seria governado pelo presidente da câmara de vereadores.

Froner e Cardoso foram eleitos com 1.269 votos contra 839 do segundo, Alcides Meneghini, e seu vice, Tiago Rosado. Nós tentamos contato com Froner e Cardoso, mas não obtivemos êxito.

Fonte: Rádio São Luiz